Morning call: bolsa tenta recuperação em dia marcado pela divulgação do PIB

O Ibovespa fechou em queda expressiva de 1,08%, retornando aos 126.802,79 pontos. A mínima do dia foi de 126,6 mil pontos

O morning call de hoje mostra que a bolsa de valores tem o desafio de tentar se recuperar, nesta terça-feira (5), do tombo de ontem. O Ibovespa fechou em queda expressiva de 1,08%, retornando aos 126.802,79 pontos. A mínima do dia foi de 126,6 mil pontos.

Vale lembrar que na sexta-feira da semana passada, a bolsa fechou em alta e acima dos 128 mil pontos. Na sessão passada, por outro lado, o dólar fechou em alta: a moeda norte-americana subiu 1,39%, cotada a R$ 4,9487.

Precisando se recuperar, a bolsa deve repercutir hoje a principal divulgação do calendário econômico na semana.

Retração do PIB no radar

Aqui no Brasil, o dado mais importante do dia é o PIB do terceiro trimestre de 2023, divulgado às 9h pelo IBGE.

Conforme as principais projeções do mercado, a economia do país entre julho e setembro deve ter a primeira queda ante os três meses anteriores desde o segundo trimestre de 2021, quando recuou 0,2%.

Levantamento feito pela Inteligência Financeira, com base em relatórios mais recentes dos grandes bancos, mostra que Itaú Unibanco e Banco do Brasil estimam uma retração de 0,2%.

O Bradesco e o BTG Pactual esperam uma baixa de 0,3%, enquanto o tracking do Santander Brasil aponta uma contração de 0,4%.

A perda de fôlego da atividade econômica no período deve ser puxada, sobretudo, pelo desempenho menos intenso da agropecuária e do setor de serviços.

Por outro lado, a indústria pode mostrar um avanço trimestral na esteira de bons números do setor extrativo. Outro destaque positivo esperado é a expansão do consumo das famílias.

Para ficar atento também, o IBGE pode publicar revisões dos PIB trimestrais de 2021 em diante.

Bolsas norte-americanas

As bolsas de Nova York, importante destacar, fecharam em queda na segunda-feira e podem ser um obstáculo a mais para o Ibovespa nesta terça-feira.

O índice Dow Jones caiu 0,11%, aos 36.204,44 pontos, o S&P 500 perdeu 0,54%, aos 4.569,78 pontos, e o Nasdaq fechou em baixa de 0,84%, aos 14.185,49 pontos.

Como sempre, as bolsas asiáticas também costumam impactar a bolsa brasileira. Vamos aos números de fechamento por lá e seus impactos nesse morning call.

Bolsas asiáticas

Os mercados acionários da Ásia tiveram pregão negativo, nesta terça-feira, com perda de mais de 1,5% em Xangai e de mais de 1% em Tóquio. Na Oceania, a Bolsa de Sydney também caiu, após o Banco Central da Austrália manter juros, mas não descartar novas altas, a depender do quadro nos indicadores.

China

A Bolsa de Xangai registrou baixa de 1,67%, em 2.972,30 pontos, encerrando na mínima do dia. A Bolsa de Shenzhen, de menor abrangência, caiu 1,95%, a 1.930,12 pontos.

Temores sobre o crescimento da China influíram, mesmo após medidas recentes do governo para apoiar o quadro. Quase todos os setores encerraram no vermelho em Xangai, com ações de software e hardware entre os piores desempenhos. Beijing Kingsoft Office Software caiu 2,65% e iFlytek teve baixa de 3,85%.

Após o fechamento chinês, a Moody’s reafirmou o rating da China em A1, mas alterou a perspectiva de estável para negativa. A agência alertou para o endividamento de governos locais e estatais, que para ela fará com que o governo central tenha de apoiá-los, com potencial piora no quadro fiscal.

Japão

Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei caiu 1,37%, a 32.775,82 pontos. Ações de tecnologia estiveram sob pressão. Disco Corp. recuou 5,6% e Advantes, 6,0%, enquanto Screen Holdings caiu 5,4%, entre os papéis mais pressionados no Nikkei.

Hong Kong

Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 1,91%, em 16.327,86 pontos. Investidores estavam cautelosos antes do relatório mensal de empregos (payroll) dos Estados Unidos, que sai nesta sexta-feira, especialmente após refluírem especulações de cortes mais agressivos de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano), segundo Gary Ng, do Natixis.

Entre os piores desempenhos neste morning call em Hong Kong, os setores de tecnologia e finanças estiveram sob pressão. Lenovo puxou perdas, com baixa de 10%, enquanto a empresa de internet Netease caiu 5,2%. Wuxi Biologics teve queda de 8,45%, após analistas revisarem para baixo perspectivas para a ação da farmacêutica.

Coreia do Sul

O índice Kospi, da Bolsa de Seul, fechou em baixa de 0,82%, em 2.494,28 pontos, com ações ligadas a baterias e a semicondutores entre as mais pressionadas. SK Hynix, fornecedora de chips para a Nvidia, caiu 4,0%. Na Bolsa de Taiwan, o Taiex caiu 0,54%, em 17.328,01 pontos.

Bolsas na Oceania

Na Oceania, em Sydney o índice S&P/ASX 200 registrou queda de 0,89%, a 7.061,60 pontos. A perda diária do mercado acionário australiano foi a maior desde 20 de outubro.

Hoje, o BC da Austrália manteve a taxa básica de juros, em 4,35%, mas reafirmou postura hawkish se for necessário, com foco nos dados. Ações de commodities estiveram entre os piores desempenhos, enquanto o setor de energia caiu 2,1%, em quadro de preços mais baixos do petróleo.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo