Lula adia embarque para a China, inflação pelo IPCA-15 fica em 0,69% em março e mercado cura ressaca pós-Copom

Preocupação com a condução da política monetária para combater a inflação criou um embate público entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central

O presidente Lula (PT) está com pneumonia leve e vai atrasar o embarque para a China da manhã de sábado (25) para a manhã de domingo (26).

O adiamento não deve afetar o encontro com o presidente da China, Xi Jinping, que está previsto para ocorrer na terça-feira (28).

Depois da ressaca pós-Copom vivida ontem, os investidores tentam recolher os cacos e olhar para frente. O Ibovespa fechou em queda de mais de 2% e o dólar subiu 1% na quinta-feira (23) com incertezas após reunião do comitê do Banco Central. A piora do humor no exterior também pesou sobre os ativos locais. Mesmo com a ação rápida das agências reguladoras, do governo e do Federal Reserve (Fed), há um risco crescente de que o estresse observado no sistema bancário se espalhe para outros setores e para a economia dos Estados Unidos, apontou a agência de classificação de risco Moody’s.

IPCA-15

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou nesta sexta-feira (24) que o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15) ficou em 0,69% em março – após ter subido 0,76% em fevereiro. O resultado, apesar da desaceleração, ficou pouco acima das expectativas do mercado. Resultado no mês foi puxado pelo aumento no preço da gasolina, dianta da volta do PIS/cofins. IPCA-15 acumula alta de 5,36% em 12 meses. A mediana das projeções de 35 instituições financeiras e consultorias ouvidas pelo Valor Data apontava para uma alta de 0,67% no mês.

A preocupação com a condução da política monetária para combater a inflação criou um embate público entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central. O presidente já vinha fazendo críticas à atuação do BC e ontem afirmou que Campos Neto não cumpre a lei de autonomia do BC.

Agenda presidencial

A agenda de Lula, que estava cheia nesta sexta-feira, foi cancelada após o presidente passar por exames médicos e detectar um quadro leve de pneumonia. O embarque para a China, programado para o sábado (25), foi postergado para o domingo (26), segundo informado pelo próprio Lula nas redes sociais.

O mandatário brasileiro tem uma agenda ambiciosa no gigante asiático, que inclui destravar um fundo de US$ 20 bilhões de investimentos no Brasil e diversos acordos comerciais. A comitiva de mais de 250 pessoas terá numero recorde de empresários.

A ausência do presidente e do ministro da Fazenda durante a próxima semana, no entanto, sem um arcabouço fiscal definido e apresentado, “enfraquece” a narrativa oficial na disputa política com o BC. E quando se fala em “disputa política” não se pode demonizar a expressão nem distorcer seu entendimento.

Em um pequeno parêntesis, política é o ato de conviver, participar da comunidade e respeitar o contrato social. Portanto, disputas políticas são normais e saudáveis, ainda mais entre um governo e um órgão de estado cujos membros foram indicados pela gestão anterior e possuem entendimentos divergentes sobre um tema (juros).

Lula na China

A expectativa do governo é pela assinatura de 30 acordos comerciais entre os países. Na capital chinesa, Pequim, Lula se reunirá com o presidente Xi Jinping e o primeiro-ministro, Li Qiang, além do presidente da Assembleia Popular Nacional, Zhao Leji.

Segundo comunicado do governo, serão tratados temas como comércio, investimentos, reindustrialização, transição energética, mudança climática, paz e segurança.

Investimentos. O governo quer viabilizar dinheiro para as áreas de energia renovável, infraestrutura e setores manufatureiros. Além de acordos de cooperação em temas como satélites e tecnologia 5G.

Leia a seguir

Leia a seguir

Ainda durante sua visita de Estado ao país, a terceira em sua história (as outras foram em 2004 e 2009), Lula irá a Xangai, onde participará de eventos e visitará a sede do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), o chamado banco dos Brics.

Presente na comitiva, a ex-presidente Dilma Rousseff deverá ser indicada à presidência do NBD.

A delegação que vai à China terá membros do governo e da iniciativa privada. Estarão presentes os ministros Fernando Haddad, Mauro Vieira (Relações Exteriores), Marina Silva (Meio Ambiente), Luciana Santos (Ciência e Tecnologia), Nísia Trindade (Saúde), o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, o assessor especial de Lula, Celso Amorim, e o presidente da Apex Brasil, Jorge Viana.

Feriado

Feriado na Argentina do Dia da Memória pela Verdade e Justiça

Indicadores do dia

No Brasil, o IBGE divulga o IPCA-15, com a inflação dos primeiros 15 dias de março.

Reino Unido divulga dados de Vendas no Varejo de fevereiro e anual.

Espanha reporta seu PIB do quarto trimestre.

França, Alemanha, União Europeia e Estados Unidos divulgam suas pesquisas PMI Industrial,  PMI Composto e PMI do Setor de Serviços.

Temporada de balanços do 4º tri

A temporada de resultados do quarto trimestre de 2022 ainda não acabou, mas está na reta final, entrando na última semana, com poucas empresas para divulgar seus dados financeiros.

Nos Estados Unidos, sobre os resultados do 4º trimestre, entre as 500 empresas listadas no índice S&P500, 68% tiveram resultados acima do esperado. Do índice Nasdaq, de 3.231 empresas, 54% tiveram desempenho acima do esperado.

No EuroStoxx, das 445 empresas, 55% foram acima do consenso.

Por fim, no nosso Ibovespa, das 85 empresas, 37% ficaram acima do esperado.

A temporada referente ao primeiro trimestre de 2023 começará em 25 de abril e irá até meados de maio.

Mercado ontem

Diante da manutenção da taxa de juros em 13,75% – já esperada – e do tom do comunicado – um tanto petulante, para outros “hawkish” – a bolsa brasileira sofreu do início ao fim do pregão, perdendo não só o suporte psicológico dos 100 mil pontos, como também de 99 mil, 98 mil, fechando em queda de 2,29%, aos 97.926 pontos.

É o menor patamar desde julho de 2022.

O dólar subiu 1% e foi a R$ 5,29, devolvendo todas as perdas do ano.