IF Hoje: IPCA e resultados da Petrobras ditarão o ritmo dos mercados locais

O dado de inflação de hoje poderá influenciar a próxima decisão de juros do Copom e acirrar o debate entre o governo e o Banco Central

O indicador mais esperado do dia é o dado de inflação pelo IPCA, que o IBGE irá divulgar pela manhã, com a expectativa de mais uma desaceleração, mantendo a taxa de inflação dentro dos limites da meta estipulada pelo Banco Central, de 3,25% ao ano, com 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Para o mês de abril o IPCA-15 – que mede a prévia da inflação oficial – ficou em 0,57% deste ano. A taxa apontou desaceleração na comparação com as de março de 2023 (0,69%) e de abril de 2022 (1,73%).

Resultado da Petrobras

Hoje também o mercado irá repercutir o resultado da Petrobras. A estatal divulgou ontem seu balanço financeiro do primeiro trimestre de 2023, com lucro de R$ 38 bilhões, acima das projeções do mercado, além do pagamento de dividendos mantendo a política recente, distribuindo até R$ 24 bilhões aos acionistas.

No exterior, os investidores prestarão atenção ao PIB do Reino Unido, em caráter preliminar, além das falas de diretores do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), como da Mary Daly, do Fed San Francisco, e do James Bullard, do Fed Saint Louis.

Agenda

  • Brasil divulga seu IPCA de abril, do acumulado dos 12 meses (entre maio de 2022 e abril de 2023) com projeção para 4,70%,  e o IPCA de março com ajustes.
  • Argentina divulga o IPC de abril, com dados anuais.
  • Reino Unido divulga seu PIB do primeiro trimestre, de março e anual.
  • Ex-colônia britânica, Hong Kong também divulga seu PIB.
  • Espanha e França divulgam seus IPCs de abril.
  • China divulga Investimento Estrangeiro Direto, Oferta Monetária, Novos Empréstimos, Financiamento Social Total e Crescimento dos Empréstimos.
  • Índia reporta seu IPC e produção industrial acumulada.

Balanço

Marfrig divulga balanço após o fechamento

Mercado ontem

Ibovespa ganhou força durante a tarde de quinta-feira (11) e fechou em alta de 0,75%, aos 108.257 pontos, ganhando impulso após a virada nos papéis da Petrobras (PETR3PETR4).

O dólar fechou em queda de 0,28% ante o real, negociado a R$ 4,9356.

No Reino Unido, o Banco da Inglaterra (BoE) elevou os juros em 0,25 ponto porcentual, para 4,50%, seguindo as expectativas do mercado.