Morning call: mercado volta-se para dentro e repercute Boletim Focus e Caged

Vale lembrar que a bolsa de valores fechou esta segunda-feira em queda de 0,36%, aos 128.502,66 pontos

O morning call de hoje indica que a terça-feira (30) indica um dia agitado em termos de calendário econômico.

Além do IGP-M de janeiro, há também a divulgação do Boletim Focus, que normalmente ocorre na segunda-feira.

Assim, investidor, veja o calendário de divulgações do dia neste morning call:

  • 08h00: IGP-M de janeiro (Ibre-FGV)
  • 08h30: Boletim Focus (Banco Central)
  • Sem horário: Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) de dezembro de 2023 (Ministério do Trabalho)
  • Balanços: Microsoft e Alphabet (Google)

Dessa forma, a terça-feira deve ser cercada de expectativa, também, por conta da Super Quarta. Amanhã haverá nova decisão da taxa de juros não apenas no Brasil, mas também nos Estados Unidos.

Assim, é a primeira divulgação do ano e tanto a entrevista de Jerome Powell quanto o comunicado do Banco Central são aguardados com expectativa pelo mercado.

Vale lembrar neste morning call que a bolsa de valores fechou esta segunda-feira em queda de 0,36%, aos 128.502,66 pontos.

Já o dólar, por sua vez, avançou contra o real. A moeda norte-americana subiu 0,71%, cotada a R$ 4,9459.

Ações da semana

Como já é tradicional, toda segunda-feira é dia da Inteligência Financeira publicar as ações da semana, com base em análise gráfica. O material desta semana traz novidades sobre Petrobras. Confira.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira, à medida que investidores continuam digerindo a ordem de liquidação da China Evergrande, gigante do setor imobiliário chinês.

Ontem, a Justiça de Hong Kong determinou que a Evergrande seja liquidada, depois de a problemática incorporadora não conseguir reestruturar suas dívidas com credores. Negócios com ações da empresa seguem suspensos.

Na China continental, o índice Xangai Composto caiu 1,83%, a 2.830,53 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve queda de 2,70%, a 1.593,12 pontos. No setor imobiliário, as ações da China Enterprise e da Seazen Holdings tombaram 9,9% e 5%, respectivamente.

Em Hong Kong, o Hang Seng recuou 2,32%, a 15.703,45 pontos, também pressionado por papéis de incorporadoras como Hang Lung Properties (-8,4%) e Longfor Group (-6,3%).

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi registrou baixa marginal de 0,07% em Seul, a 2.498,81 pontos, e o Taiex cedeu 0,47% em Taiwan, a 18.034,63 pontos.

O sentimento de cautela também prevaleceu antes da decisão de juros do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), a ser anunciada amanhã (31).

Exceção na região, o japonês Nikkei apresentou leve alta de 0,11% em Tóquio hoje, a 36.065,86 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana também driblou o mau humor da Ásia e garantiu o sétimo pregão consecutivo de ganhos. O S&P/ASX 200 avançou 0,29% em Sydney, a 7.600,20 pontos.

Morning call: como fecharam as bolsas dos Estados Unidos

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta segunda-feira (29) e tanto o Dow Jones quanto o S&P 500 cravaram nova máxima histórica, após os índices acelerarem ganhos no fim do pregão depois que o Tesouro dos EUA anunciou que precisará realizar leilões de títulos públicos para cumprir as necessidade de refinanciamento da dívida do governo americano abaixo do valor esperado pelos analistas.

Investidores aguardavam ainda a divulgação dos resultados de grandes empresas de tecnologia e a decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) nos próximos dias.

O índice S&P 500 fechou em alta de 0,76%, aos 4.927,93 pontos, superando a máxima histórica anterior de 4.894,16 pontos atingida em 25 de janeiro. O Dow Jones subiu 0,59%, aos 38.333,45 pontos, também em recorde. O Nasdaq ganhou 1,12%, aos 15.628,04 pontos.

Com informações da Dow Jones Newswires e do Estadão Conteúdo