Morning call: como a bolsa vai se comportar após a severa queda registrada no último pregão?

Desempenho ruim ocorreu na primeira sessão completa após as decisões do Copom e do Fed

O morning call busca mostrar que a principal expectativa em relação ao Ibovespa hoje é saber se o índice vai se recuperar da severa queda experimentada ontem.

No primeiro pregão posterior ao Copom, a bolsa caiu 2,15%, fechando aos 116.145 pontos. O Comitê de Política Monetária reduziu a taxa básica de juros da economia em meio ponto porcentual, para 12,75% ao ano.

Ontem também foi o primeiro pregão completo em que o mercado digeriu a decisão do Fed. O banco central norte-americano manteve a taxa de juros nos Estados Unidos no intervalo entre 5,25% a 5,50%.

Resta saber o que vai ocorrer hoje com a bolsa, que também sofre, como sempre, influência do que acontece na Ásia.

Bolsas asiáticas

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta sexta-feira com as chinesas impulsionadas por incentivos para investidores estrangeiros em Xangai e Pequim e outras ainda pressionadas pela perspectiva de juros altos nos EUA por um longo período. Já o Banco do Japão (BoJ) deixou sua política monetária inalterada, como se previa.

Mercados na China

Na China continental, os mercados tiveram ganhos robustos hoje, interrompendo uma sequência de três dias negativos: o Xangai Composto subiu 1,55%, a 3.132,43 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,91%, a 1.913,53 pontos.

Ontem, Xangai anunciou que investidores estrangeiros poderão mover recursos para dentro ou fora da cidade sem restrições e atrasos. Já Pequim propôs legislação semelhante, prometendo facilitar os fluxos de capitais de empresas estrangeiras.

Também na esteira das medidas de incentivo, o Hang Seng saltou 2,28% em Hong Kong, a 18.057,45 pontos. O Taiex, por sua vez, apresentou desempenho mais modesto em Taiwan, com ganho de 0,17%, a 16.344,48 pontos.

Ações de tecnologia se destacaram tanto em Hong Kong quanto na China. Na ChiNext, bolsa chinesa com estilo semelhante à americana Nasdaq, alguns papéis ligados à inteligência artificial (IA) dispararam 20%, atingindo o limite de valorização diária local.

Japão e Coreia do Sul

Em outras partes da Ásia, o apetite por risco segue prejudicado desde o anúncio de juros do Federal Reserve, na quarta-feira (20). Na ocasião, o Fed manteve seus juros, mas sinalizou novo aumento ainda este ano e previu que as taxas ficarão altas por mais tempo. Como resultado, Wall Street acumulou perdas pelo terceiro pregão seguido ontem.

O japonês Nikkei caiu 0,52% em Tóquio hoje, a 32.402,41 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 0,27% em Seul, a 2.508,13 pontos. Como era amplamente esperado, o BoJ manteve sua política ultra-acomodatícia durante a madrugada, sem qualquer sinalização de aperto.

E na Oceania?

Na Oceania, a bolsa australiana teve alta apenas marginal, após quatro pregões negativos. O S&P/ASX 200 avançou 0,05% em Sydney, a 7.068,80 pontos.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo