Morning call: três coisas que você precisa saber antes da abertura dos mercados nesta sexta

Confira o que esperar da bolsa de valores nesta sexta-feira

Esta sexta-feira (21) não reserva nada de especial para o mercado financeiro em termos de agenda econômica. Mas há uma série de informações importantes que o investidor deve tomar pé antes da abertura do mercado. É isso que vamos mostrar a partir de agora neste morning call.

Antes, o dado de sempre: a bolsa de valores nesta quinta-feira fechou em alta de 0,15%, aos 120.446 pontos.

Morning call: no que prestar atenção

Quais são as ações de baixo risco?

Então, abrimos este morning call mostrando aos leitores que segundo a XP existem cinco ações consideradas de baixo risco e que o investidor deve prestar atenção. Uma delas é a Petrobras (PETR4). As outras, são:

  • EcoRodovias (ECOR3)
  • Gerdau (GGBR4)
  • M. Dias Branco (MDIA3)
  • Lojas Renner (LREN3)

Dessa forma, a matéria escrita por Lucas Andrade traz os detalhes para essas escolhas e vale a pena ser lida aqui.

Itaú (ITUB4) continua no foco

matéria escrita por Aluísio Alves indica que o Itaú (ITUB4) segue em evidência neste finzinho de semana. Tanto que Goldman Sachs, BTG, XP e BofA reforçam que vale a pena comprar o papel da instituição financeira. As recomendações surgem após falas do banco envolvendo dividendos e inteligência artificial (IA). Confira aqui mais detalhes

Uma análise após o Copom

Então, é de Lucas Andrade, também, uma reportagem que mostra o que o investidor deve esperar do dólar.

Ele vai cair?

Então, e o Ibovespa, o que vai acontecer com o principal índice da bolsa de valores?

A análise leva em conta a recente reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). O colegiado manteve a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic em 10,5% ao ano.

Por fim, a memória

A Inteligência Financeira prepara para o próximo dia 27 de junho a publicação do primeiro de sete episódios que contam a história do Plano Real.

Dessa forma, o projeto, que se chama ‘Plano Real: a moeda que mudou o Brasil’, envolve também a publicação de uma série de reportagem e, nesta quinta, a redação publicou uma galeria de fotos históricas do plano e do ano de 1994, quando ele foi lançado.

Confira a seguir:

Morning call: e as bolsas nos Estados Unidos

As bolsas de Nova York fecharam sem direção única nesta quinta-feira (20), pregão que marcou o retorno dos mercados em Wall Street após o feriado de “Juneteenth” nos Estados Unidos.

Ao contrário do que ocorreu na abertura dos negócios, várias das ações mais beneficiadas pelo otimismo do mercado com a inteligência artificial (IA) generativa tiveram queda forte em um movimento de correção após os saltos recentes.

Assim, o índice S&P 500 terminou o pregão em queda de 0,25%, a 5.473,17 pontos, enquanto o Nasdaq recuou 0,79%, a 17.721,59 pontos. Menos influenciado pelo desempenho das empresas de tecnologia, o Dow Jones anotou alta de 0,77%, a 39.134,76 pontos.

A Nvidia, que chegou a ocupar o posto de empresa de capital aberto mais valiosa do mundo por conta do frenesi com a IA, recuou 3,54% hoje e deu lugar à Microsoft, que anotou leve recuo de 0,14% neste pregão. Entre outras fabricantes de chips que tiveram forte queda hoje, a Micron despencou 6,12% e a Qualcomm tombou 5,10%.

Por outro lado, as chamadas ações “blue chips” das bolsas de Nova York desempenharam bem e impulsionam o Dow Jones. Maior alta do dia no índice, a Salesforce saltou 4,31% após a empresa integrar ferramentas de IA aos seus sistemas de CRM, e o mercado especula o impacto que isso poderá ter na receita da companhia.

Fechamento na Ásia

Os principais índices acionários da Ásia encerraram o dia em queda, arrastadas pelas perdas nas bolsas de Nova York no fechamento anterior, as quais foram impulsionadas pelo recuo nos papéis do setor de tecnologia.

Na China continental, o índice Xangai Composto caiu 0,20%, para 2.998,14 pontos, com as perdas das ações relacionadas ao consumo. A gigante do setor de bebidas Kweichow Moutai caiu 1,9% e a Wuliangye Yibin perdeu 1,5%.

China continental

Já em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 1,7%, para 18.028,52 pontos, arrastado pelas ações do setor imobiliário e de tecnologia. “Os investidores estão atentos a políticas mais pragmáticas sobre a economia da China na próxima terceira reunião plenária em julho”, escreveram os analistas da Daiwa, em nota. A Hang Lung Properties caiu 4,6% e a New World Development perdeu 3,6%.

Bolsa de Seul

Por sua vez, o índice Kospi, da bolsa de Seul, caiu 0,8% para fechar em 2.784,26 pontos, interrompendo uma sequência de três sessões de vitórias. A Samsung Electronics, peso pesado do índice, perdeu 2,0%, após três dias consecutivos de ganhos. A empresa de defesa Hanwha Aerospace caiu 4,8%.

Tóquio e Índia

Em Tóquio, o índice Nikkei caiu 0,10%, para 38.596,47 pontos, arrastado por quedas nas ações de tecnologia e do setor imobiliário, já que a incerteza continua sobre as perspectivas da política do Banco do Japão (BoJ). Dados mostraram que a inflação ao consumidor do Japão aumentou 2,8% em maio, contra 2,5% em abril, elevando as expectativas do mercado relativamente a aumentos das taxas de juros. O SoftBank Group caiu 3,1% e o Sumitomo Realty & Development perdeu 1,2%.

Na Índia, o índice Sensex caiu 0,35%, a 77.209,90 pontos. Os investidores estão se concentrando nas iniciativas econômicas do novo governo da Índia para impulsionar o crescimento interno.

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir