Goldman, BTG, XP e Bofa reforçam ‘compra’ para Itaú (ITUB4) após sinais sobre IA e dividendo

Analistas elogiaram indicações do CEO, Milton Maluhy Filho, quanto a ganhos de eficiência e sobre política de remuneração a investidores

Analistas de Goldman Sachs, XP Investimentos e BTG Pactual reforçaram nesta quinta-feira (20) recomendação de compra para as ações do Itaú Unibanco (ITUB4), após um encontro anual de executivos do banco com analistas e investidores.

Um dos pontos que os relatórios destacaram foi a sinalização do presidente-executivo do banco, Milton Maluhy Filho, em relação ao superapp One Itaú.

A primeira onda de migração para a plataforma deve acontecer no segundo semestre, envolvendo 15 milhões de clientes, especialmente os de produto único.

Assim, a iniciativa concentra os esforços do Itaú para migrar clientes de produto único para um ambiente unificado, no qual oferecerá um prateleira mais completa de produtos, além de ganhar produtividade.

O bancos avaliam que isso o ajudará a aumentar a lucratividade no segmento de baixa renda e competir melhor com bancos digitais.

“O varejo bancário brasileiro mudou drasticamente, especialmente no segmento de baixa renda, e acreditamos que o Itaú fez um excelente trabalho ao aceitar e se adaptar ao cenário em mudança”, afirmou Eduardo Rosman, do BTG Pactual, reforçando recomendação de compra para ITUB4.

Inteligência artificial no Itaú

Ademais, executivos do Itaú também citaram avanços no uso de computação em nuvem e inteligência artificial (IA).

Dentre outros resultados dessa campanha, o Itaú reduziu pela metade suas perdas com fraudes nos últimos anos.

Adicionalmente, o banco estimou que a adoção de IA pode reduzir seu custo de atendimento em 20% a 40% nos próximos anos.

“O evento reforçou nossa visão de que o Itaú está bem à frente dos pares tradicionais em termos de tecnologia, processos e estratégia”, escreveram Mario Pierry e Flavio Yoshida, do Bank of America, também com recomendação de compra para a ação.

Do mesmo modo, a XP elogiou as sinalizações do banco em tecnologia.

“Mantemos perspectiva positiva sobre a capacidade do Itaú de se adaptar às mudanças e permanecer como um dos bancos mais eficientes”, escreveu a XP.

Dividendos

Em outra frente, os analistas receberam com otimismo declarações de Maluhy Filho sobre política de distribuição de dividendos.

O executivo disse que o banco pode distribuir o excesso de capital até o final do ano, após obedecer atualizações regulatórias sobre exigências de capital.

Maluhy expressou preferência por pagamento de dividendos extraordinários em vez de aumentar o pagamento mínimo.

Dessa forma, isso permitiria ao Itaú aproveitar as oportunidades de crescimento e enfrentar eventuais desafios adiante.

“Reiteramos nossa classificação de compra, dada a alta lucratividade e o saudável rendimento de dividendos do banco”, escreveram Tito Labarta e equipe, do Goldman Sachs.

Leia a seguir

Leia a seguir