Morning call: bolsa abre de olho em Haddad e no setor de saúde; o que você precisa saber agora

Confira tudo o que você precisa saber sobre a abertura dos mercados nesta segunda-feira. O morning call te conta tudo

A semana começa com pouco entusiasmo. O investidor tem para repercutir o Boletim Focus, emitido toda segunda-feira pelo Banco Central e uma prévia do PIB calculada pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Esse é o principal recado do morning call, que traz ainda informações que você precisa saber antes da abertura dos mercados.

Vamos a elas?

Morning call: o que você precisa saber

Haddad e a Faria Lima

Então, um assunto que deve seguir repercutindo nos mercados nesta semana é a capacidade do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, contornar eventuais rugas que ficaram dos últimos dias com a Faria Lima. Na última sexta-feira, o repórter Renato Jakitas fez uma reportagem tratando dessa relação. Para entender melhor, basta clicar aqui.

Magalu (MGLU3) e os dois cartões

Dessa forma, outra informação que pode fazer preço no mercado é a novidade apresentada pelo Magazine Luiza (MGLU3). A varejista vai permitir o uso de dois cartões diferentes para uma mesma compra. A informação foi dada com exclusividade para a Inteligência Financeira pelo diretor de finanças do Magalu, Roberto Bellisimo.

Por fim, o mais importante

Então, Dasa (DASA3) e Amil se unem para criar gigante no setor de saúde. A Ímpar, empresa conjunta das duas redes, vai ter um total de 25 hospitais e 4,4 mil leitos majoritariamente localizados no Sudeste e Distrito Federal.

Então, a Inteligência Financeira publicou dois importantes conteúdos a respeito; confira:

E como fecharam as bolsas nos Estados Unidos?

Antes, vale lembrar que a bolsa de valores brasileira fechou na sexta-feira em leve alta de 0,08%, aos 119.662 pontos.

Os principais índices acionários das bolsas de Nova York fecharam sem direção única e próximas à estabilidade na sexta-feira.

O movimento de realização de lucros em Wall Street foi impulsionado por declarações do ministro de Finanças da França, Bruno Le Maire, sobre as eleições parlamentares na França, no fim deste mês. Apesar disso, o índice Nasdaq conseguiu se manter no positivo, mesmo que de forma leve, e, assim, renovou máxima histórica.

O índice Dow Jones caiu 0,15%, a 38.519,16 pontos; o S&P 500 perdeu 0,04%, a 5.431,60 pontos; e o Nasdaq aumentou 0,12%, a 17.688,882 pontos. No acumulado da semana, o Dow Jones recuou 0,54%, enquanto os dois últimos índices valorizaram 1,58% e 3,24%, respectivamente.

E as bolsa da Ásia?

As bolsas da Ásia fecharam em queda nesta segunda-feira, pressionadas pelos dados econômicos da China que ficaram abaixo do esperado.

A produção industrial de maio subiu 5,6% ante expectativa de 6%, enquanto os investimentos em ativos fixos caíram 10% em maio ante expectativa de 9,8%. Já as vendas no varejo subiram 3,7%, acima dos 2,3% de abril e do consenso de 3,3%.

O resultado dos investimentos em ativos fixos na China desapontou os investidores considerando os contínuos esforços do governo em impulsionar o setor imobiliário.

No fim de semana, o banco central da China informou que vai manter seus juros de médio prazo inalterados em 2,5%.

Bolsa no Japão

No Japão, o Nikkei caiu 1,8% a 38.102,44, pressionado por ações imobiliária, com o aumento da incerteza sobre o cenário de política monetária do Banco do Japão (BoJ).

Na sexta-feira, o banco manteve os juros inalterados mas afirmou que começará a reduzir sua compras de títulos do governo. Sumitomo Realty & Development caiu 4.9% e Mitsubishi Estate recuou 4.2%.

Coreia do Sul

O índice Kospi da Coreia do Sul caiu 0,5% a 2.744,10, interrompendo quatro sessões de ganhos. Ações de baterias e internet foram as maiores perdedoras. LG Energy Solution caiu 3,6% e Posco Future perdeu 3,5%.

Na China, o índice Shanghai caiu 0,55% a 3.015,89 pontos depois que a produção industrial da China e os investimentos em ativos fixos ficaram abaixo do esperado. Poly Developments caiu 2% e Midea Group recuou 1,65%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou estável a 17.936,12, também afetado pelos dados fracos de maio da China, que deve intensificar a pressão para que o banco central chinês corte os juros. ENN Energy cauy 3,5% e o Longfor Group recuou 3,4%.

A bolsa da Índia permaneceu fechada em respeito a um feriado local.

Com informações do Valor Econômico

Leia a seguir

Leia a seguir