Luiz Barsi Filho é o Warren Buffett brasileiro?

As lições para os investidores aprenderem com as histórias e estratégias dos dois megainvestidores

Há diversas semelhanças entre Luiz Barsi Filho e Warren Buffett. A começar pela mais óbvia, ambos são bilionários do mercado de ações. Eles considerados verdadeiras lendas vivas entre os investidores. Ambas trajetórias pessoais e profissionais também guardam diversas semelhanças.

Nenhum dos dois nasceu rico ou são de uma família influente. Barsi, inclusive, teve uma infância e adolescência muito difícil, tendo que trabalhar desde muito cedo.

Buffett nasceu em uma família de classe média nos Estados Unidos, e, apesar de seu pai ter sido deputado, ele cresceu sentindo os efeitos da crise de 1929 e da Grande Depressão advinda dela. Começou a trabalhar bastante cedo também, entregando jornais e outras atividades afins.

Barsi e Buffett começaram a investir na bolsa cedo

Logo, Barsi e Buffett se interessaram pela bolsa de valores e pelo seu potencial de ganhar dinheiro. Começaram ainda na adolescência a estudar e conhecer o mercado de capitais. A sua longevidade e disciplina é algo realmente impressionante.

Ambos começaram a investir antes dos 30 anos de idade.

Assim, Barsi, atualmente com 85 anos, tem mais de 50 anos como investidor de sucesso. Enquanto Buffett, com idade atual de 93 anos, possui mais de 60 anos como investidor de sucesso.

As fortunas de Barsi e Buffett

Começando praticamente do zero, Barsi possui fortuna estimada em R$ 4 bilhões; e Buffett, em US$ 133 bilhões, tudo construído por meio do mercado de capitais.

Poderiam viver como “reis”, se quisessem esbanjando milhões sem se preocuparem em ficar pobres, mas ambos adotam hábitos de grande frugalidade.

Buffett possui apenas uma casa, na qual reside desde os anos 1960. Não possui motorista e dirige seu próprio carro até o escritório da sua empresa.

Barsi é usuário regular de metrô em São Paulo e mora em um condomínio no Tatuapé, bairro de classe média na capital paulista.

Por fim ambos são críticos da renda fixa. Investem praticamente todos os recursos em ações de empresas que acreditam serem superiores, que eles estudam profundamente antes de investir.

E mantêm esses papeis em longo prazo, muitas vezes por décadas, reinvestindo quase a totalidade dos ganhos no próprio mercado de capitais, com a mesma estratégia de longo prazo.

As diferenças entre Barsi e Buffett

Apesar de tantas semelhanças uma diferença fundamental entre ambos está no perfil das empresas “superiores” que buscam para suas carteiras.

Mesmo buscando empresas de alta qualidade, consolidadas, em setores que as tornem perenes, ou seja, com baixíssima probabilidade de falirem, o foco de cada um deles é diferente.

Buffett: foco em empresas com altas taxas de crescimento

Buffett visa empresas de alta qualidade, consolidadas, grandes, mas ainda assim com alto potencial de crescimento.

Por exemplo, o maior investimento atualmente em da carteira de Buffett é em ações da Apple (AAPL). No ano de 2017, a companhia era a maior empresa do mundo em capitalização de mercado. Contudo, ainda assim, nestes 7 anos, as ações se valorizaram cerca de 220%.

Uma típica large cap growth stock, ou seja, uma ação de alta capitalização de mercado (grande empresa, portanto), porém com altas taxas de crescimento. Este é o perfil das empresas de sua carteira.

Barsi olha para os dividendos

Barsi, também visa empresas de alta qualidade, consolidadas, contudo, com o foco no recebimento de dividendos e não necessariamente em altas taxas de crescimento como Buffett.

Por exemplo: em 2019, Barsi recebeu R$ 4 milhões de dividendos de apenas uma de suas diversas empresas em carteira, a Eletrobrás, algo como um “salário” mensal de R$ 330 mil.

Outra diferença importante é o país em que atuam, o que naturalmente influencia sua estratégia. Buffett possui a maioria de seus investimentos em empresas estadunidenses, o maior e mais eficiente mercado de capitais do mundo. Isto favorece a sua estratégia de buscar empresas grandes com alto potencial de crescimento, a grande maioria deste tipo de empresas está nos Estados Unidos.

Já Barsi possui seus investimentos no Brasil, um mercado de capitais bem menor, com menos opções e tendo as maiores empresas ligadas a commodities, como Petrobrás e Vale e/ou empresas estatais.

Fica mais difícil uma estratégia de large cap growth stocks, como Buffett. Contudo, no Brasil os dividendos são isentos de Imposto de Renda, o que não acontece em quase nenhum outro país do mundo.

Ademais, existe a figura dos juros sobre capital próprio, que podem aumentar ainda mais a distribuição de proventos aos investidores, complementando os dividendos. Barsi se aproveita sabiamente destas características tão específicas do Brasil para potencializar a sua estratégia.

Barsi ou Buffett: quem tem a melhor estratégia?

Não existe uma melhor estratégia clara e inequívoca. Depende muito do perfil do investidor, dos mercados em que ele atua e mesmo suas convicções pessoais. Ambas estratégias, de Buffett e Barsi, são claramente vencedoras e o investidor deve aprender com elas.

As lições sobre estudar profundamente a empresa em que se quer investir, focar no longo prazo, ter paciência e disciplina, viver com certa frugalidade e reinvestir parte significativa de seus ganhos em empresas de alta qualidade foram extremamente bem-sucedidas para os dois gênios do mercado. Aprender com essas lições deles é ter inteligência financeira.