Morning call: como o mercado vai reagir em dia marcado pela divulgação da ata do Copom?

Bolsa de valores seguiu na segunda-feira sua trajetória de queda e fechou o pregão em baixa

O morning call de hoje começa mostrando que a bolsa de valores seguiu na última segunda-feira sua trajetória de queda e fechou o pregão em baixa de 0,07%, a 115.924,61 pontos. Na semana anterior, o índice já havia caído 2,31% no acumulado.

Assim, a pergunta de hoje do morning call é se a bolsa será capaz de mostrar alguma recuperação ou continuará experimentando uma sequência de quedas. O pregão de logo mais vai mostrar.

Hoje há uma informação importante a ser apresentada e que pode influenciar as negociações.

O Comitê de Política Monetária (Copom) divulga sua ata. O documento vai apresentar detalhes do que foi discutido na reunião que resultou em um corte de meio ponto na taxa básica de juros da economia, a Selic.

Ainda nesta terça-feira, o IBGE vai divulgar dados do IPCA-15. O documento é considerado pelo mercado como a prévia da inflação.

No mais, as negociações são influenciadas pelo fechamento das bolsas asiáticas.

Bolsas asiáticas

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta terça-feira em meio a preocupações sobre a economia chinesa e uma possível paralisação do governo dos EUA.

O índice japonês Nikkei caiu 1,11% em Tóquio hoje, a 32.315,05 pontos, a mínima do pregão, enquanto o Hang Seng recuou 1,48% em Hong Kong, a 17.466,90 pontos, o sul-coreano Kospi teve queda de 1,31% em Seul, a 2.462,97 pontos, e o Taiex registrou perda de 1,07% em Taiwan, a 16.276,07 pontos.

Na China continental, o dia também foi negativo: o Xangai Composto recuou 0,43%, a 3.102,27 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,52%, a 1.894,68 pontos.

A frágil recuperação econômica da China voltou ao radar no fim de semana, após novos sinais de problemas no setor imobiliário.

“As dificuldades no setor imobiliário chinês estão longe de acabar, à medida que a notória incorporadora Evergrande falhou no pagamento de 4 bilhões de yuans em bônus domésticos e adiou reuniões sobre reestruturação” de dívidas, comentou Tina Teng, analista de mercado da CMC Markets APAC & Canada.

Já nos EUA, o governo de Joe Biden enfrenta no curto prazo a possibilidade de uma paralisação, diante de discordâncias orçamentárias em Washington.

Também pesa no sentimento preocupações de que os juros americanos fiquem em níveis elevados por mais tempo do que se imaginava, como sinalizou o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) na semana passada, quando deixou suas principais taxas inalteradas.

E na Oceania?

Na Oceania, a bolsa australiana ficou igualmente no vermelho hoje, com queda de 0,54% do S&P/ASX 200 em Sydney, a 7.038,20 pontos.

Com informações da Dow Jones Newswires, da Associated Press e Estadão Conteúdo