Bitcoin e ether sobem mais de 1% com Wall Street e busca por recuperação

Conforme não se confirmam os temores em torno da solvência de corretoras como a Binance, os investidores compram moedas digitais com desconto

O bitcoin (BTC) e o ethereum (ETH) operam em alta nesta terça-feira (20) em uma recuperação depois das quedas no domingo e na segunda-feira. As criptomoedas hoje também estão subindo junto com as bolsas de valores dos Estados Unidos, mas com variações bem mais expressivas.

Aos poucos, conforme não se confirmam os temores em torno da solvência de corretoras como a Binance, os investidores timidamente buscam comprar moedas digitais com o desconto promovido pela derrocada recente.

Perto das 18h10 (horário de Brasília) o bitcoin sobe 1,5% em 24 horas, cotado a US$ 16.860 e o ether, moeda digital da rede ethereum, tem ganhos de 3,2% a US$ 1.213, conforme dados do CoinGecko. O valor de mercado somado de todas as criptomoedas do mundo é de US$ 846 bilhões. Em reais, o bitcoin registra leve variação positiva de 0,07% a R$ 88.261 e o ether apresenta alta de 2,02% a R$ 6.371, de acordo com valores fornecidos pelo MB.

Em Wall Street, o índice Dow Jones subiu 0,28% a 32.849 pontos, o S&P 500 registrou leve alta de 0,1% a 3.821 pontos e o Nasdaq, focado em empresas de tecnologia, registrou leve variação positiva de 0,01% a 10.547 pontos. Lei completo Bolsas de Nova York fecham em alta depois de decisão surpresa do Banco do Japão.

Segundo Pedro De Luca, head de cripto da Levante Investimentos, a alta de hoje não é muito significativa e pode ser atribuída à correlação do mercado de criptoativos com o Nasdaq. Na opinião dele, os próximos meses não trazem nenhum grande driver de alta para cripto e a prisão de Sam Bankman-Fried, o fundador da FTX, não tende a causar muita movimentação porque o dano já está feito desde que a corretora faliu. “Deve ficar mais estável nos próximos dias. O mercado deve seguir correlacionado com as ações tradicionais”, afirma.

Já Raquel Vieira, especialista em criptomoedas da Top Gain, aponta que apesar do repique o mercado de criptomoedas segue em tendência de queda por análise gráfica utilizando os períodos gráficos mais longos. “O cenário para os próximos dias possivelmente continuará sendo de queda. Tivemos um fundo do bitcoin na região dos US$ 15.500 alguns dias atrás e podemos alcançar em breve novamente essa região de fundo, que chamamos de suporte”, projeta.

Do lado das notícias do setor cripto, a Visa propôs a utilização da StarkNet, um blockchain de segunda camada do Ethereum, para pagamentos recorrentes e automáticos. “Embora pagamentos recorrentes automáticos sejam comuns em aplicativos bancários móveis tradicionais, é uma tarefa mais difícil no blockchain”, diz Szuster, citando uma liderança da Visa. A ideia é fazer uma ponte entre o mundo real e o dos criptoativos ao permitir que as pessoas que usam carteiras digitais paguem suas contas com maior facilidade.

A bandeira de cartões de crédito usou o conceito de “abstração de conta” para permitir um mecanismo mais simplificado de cobrança a ser aplicado nas transações. “Vemos os pagamentos automáticos como uma funcionalidade central que falta na infraestrutura de blockchain existente”, escreveram em nota os autores da proposta.