Alfredo Setubal: ‘Juro alto não é bom para ninguém, mas BC tem agido com cautela necessária’

Setubal acha mais provável que os cortes da Selic comecem em "setembro ou outubro" e não na próxima reunião de política monetária, em agosto

Ninguém gosta de juros altos, mas uma queda mais substancial das taxas, como quer o governo, pode demorar mais algum tempo, avalia Alfredo Setubal, diretor-presidente e diretor de Relações com Investidores da Itaúsa, uma das maiores holdings de investimento da América Latina. “Na minha opinião, o Banco Central tem agido com a cautela necessária”, disse o executivo a jornalistas na começo da noite desta segunda-feira, 26.

“É difícil, não é bom para ninguém o juro alto, mas se a meta do Banco Central é trazer a inflação para o nível médio, acho que ainda temos uma jornada de juro mais alto”, o executivo.

Setubal acha mais provável que os cortes comecem em “setembro ou outubro” e não na próxima reunião de política monetária, em agosto. “Vamos iniciar um ciclo lento.”

Em sua avaliação, a economia está funcionando, embora existam alguns setores com maior dificuldade, como o comércio. No geral, tem havido abertura de vagas e o Produto Interno Bruto (PIB) está crescendo. Portanto não se pode culpar o BC, que elevou a Selic para 13,75%.

Setubal participou de um painel de encerramento do primeiro dia do 24º Encontro de Relações com Investidores e Mercado de Capitais.

Com informações do Estadão Conteúdo e da Agência Brasil