Mercado hoje: Ibovespa fecha em alta puxado por Petrobras; dólar cai para R$ 5,13

Rumo das taxas de juros nos EUA seguiu no radar dos investidores

Após registrar alta durante a manhã, o Ibovespa virou para o terreno negativo no meio da tarde desta quinta-feira (23), retomou a tendência de subida após às 16h e, impulsionado pelas ações da Petrobras, fechou com ganhos de 0,41%, a 107.606 pontos. Já o dólar fechou em queda de 0,67%, a R$ 5,1350.

O petróleo Brent – utilizado como referência de preços pela estatal– com entrega para abril avançou 2,00%, a 82,21 por barril. As ações da petrolífera estatal fecharam o dia subindo 3,03% (PETR4) e 3,87% (PETR3).

Investidores globais seguem corrigindo posições, mesmo após uma leitura mais fraca do PIB americano na medida em que esperam um ciclo de aperto monetário mais longo por parte do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos).

Commodities

As ações ligadas às commodities metálicas também pressionavam o índice. “Os resultados de grandes mineradoras estão vindo não só com queda anual, mas também abaixo do consenso”, afirma Gilberto Cardoso, analista de commodities da OHMResearch. “Além disso, várias empresas estão cortando dividendos. O mercado começou a reagir.”

Vale ON (-1,48%), CSN ON (-1,67%), Usiminas PNA (-2,82%) e Gerdau PN (-0,53%), entre outros papéis, trabalhavam em queda firme, pressionando a bolsa brasileira.

Também no foco dos investidores está o caso de doença da “vaca louca” no Pará, que fez com que o governo federal paralisasse as exportações de carne bovina à China. Ontem, os frigoríficos amargaram algumas das maiores perdas do Ibovespa.

Hoje, os papéis das companhias apresentavam desempenho misto. JBS (3,18%) e Minerva (1,40%) subiam, Marfrig (-1,59%) ampliava as perdas, e a BRF rondava a estabilidade.