Mercado hoje: Ibovespa fecha em firme alta com falas de Haddad em evento do BTG

Ministro da Fazenda disse que nova regra fiscal vai ser anunciada já em março

O Ibovespa se consolidou no campo positivo após iniciar o pregão desta quarta-feira (15) com instabilidade. As atenções estiveram voltadas para evento do BTG Pactual, que contou com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e outros nomes do mercado brasileiro.

O principal índice da bolsa brasileira fechou em alta de 1,63%, aos 109.607 pontos. Mais cedo, chegou a superar a faixa de 2% e romper o patamar de 110 mil pontos na máxima. Já o dólar seguiu o mercado externo e subiu 0,44%, a R$ 5,22, refletindo o fortalecimento da divisa americana no cenário global.

Durante evento do BTG, Haddad afirmou que a nova regra fiscal pode ser anunciada em março. “Já tínhamos puxado para abril por causa da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), mas (Simone) Tebet e (Geraldo) Alckmin ponderaram que era bom ter período de discussão”, disse ele.

O ministro disse ainda que o novo arcabouço deve ser “rigoroso e inteligente, mas um ser humano tem que conseguir fazer”.

Gustavo Cruz, estrategista da RB Investimentos, considera que a declaração contribui para melhorar os humores dos agentes. “O mercado está bem desconfiado com a nova regra. Não acredita que vem algo muito duro, que vá aliviar demais. Mas de qualquer forma, uma antecipação tiraria incertezas da frente.”

André Perfeito, economista da Necton, avalia que o governo passa a apontar caminhos e assim o mercado consegue ver a direção. “Falta muito ainda para concretizar as iniciativas apontadas, mas o mercado agora tem assuntos concretos para debater.”

Também durante o evento do BTG, Rogério Xavier, da SPX Capital, Luis Stuhlberger, da Verde Asset, e André Jakurski, da JGP, concordaram que as metas de inflação devem ser revisadas para que possam ser críveis.

“Estabeleceu-se uma meta de inflação há dois, três anos, que não vai se materializar. Por que o BC está perseguindo um objetivo inalcançável?”, questionou Stuhlberger.

As falas ajudaram a trazer um alívio para a bolsa, já que a possibilidade de mudança de meta era vista com cautela por investidores e vinha causando estresse nos ativos brasileiros.

No exterior, o foco é nos Estados Unidos, onde as vendas no varejo subiram 3% em janeiro, bem acima da expectativa do mercado, que era de alta de 1,9%.

A economia do país é destaque após, ontem, a inflação ao consumidor acima das expectativas ter feito agentes econômicos apostarem num aperto monetário mais firme pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano).

Commodities

O petróleo recuou hoje após os estoques americanos subirem muito acima do previsto na semana passada, sinal de demanda interna fraca pelo óleo e seus produtos derivados.

O petróleo tipo Brent com entrega para abril recuou 0,23%, a US$ 85,38 por barril, na Intercontinental Exchange (ICE), de Londres. O Brent é usado pela Petrobras como referencial para o cálculo de seus preços.

Os estoques de petróleo nos EUA avançaram 16,283 milhões de barris na semana encerrada no sábado passado (10), bem além da alta de 800 mil barris esperada. Os estoques nacionais de gasolina também aumentaram mais que o previsto, enquanto os de destilados recuaram.