Itaú (ITUB4) deve pagar dividendo extra de R$ 6 bi em 2023, prevê Bradesco BBI

Para analistas, valor refere-se a excesso de capital, que tende a ser distribuído aos acionistas

O Itaú Unibanco (ITUB4) deve fazer um pagamento extra de cerca de R$ 6 bilhões em dividendos a acionistas ainda em 2023, previu nesta terça-feira o Bradesco BBI.

O montante, segundo Gustavo Schroden e equipe, que assinam o relatório, refere-se a excesso de capital que deve ser repassado à base acionária, considerando indicações do próprio Itaú.

O BBI estima que o Itaú Unibanco terá neste ano um lucro total de R$ 34,2 bilhões.

Assim, pela política atual do Itaú, de que até 30% do lucro é distribuído na forma de dividendos, o valor a ser distribuído é de aproximadamente R$ 10,2 bilhões para este exercício.

Excesso de capital

Por demandas regulatórias, os bancos são obrigados a guardar uma parte do lucro para uma espécie de reserva de segurança para se prevenir de riscos, como o de falhas tecnológicas, falhas no sistema bancário, etc.

Essa reserva, o chamado índice de capital, é atualizado de tempos em tempos considerando diretrizes internacionais de Basileia, um acordo global de bancos.

Pela sinalização do Itaú, o relatório do BBI calcula que o índice seria de 14,7%.

Porém, os analistas entendem que este cálculo está muito conservador após o Banco Central ter detalhado recentemente alguns pontos sobre eventual necessidade de capital adicional para bancos.

Nas contas do BBI, esse índice deve ser de 13,9%.

Na prática, isso significaria que o Itaú teria recursos a mais que tenderiam a ser distribuídos aos acionistas, o que os analistas calcularam em R$ 6 bilhões.

“Prevemos um dividendo total de R$ 16,2 bilhões a ser pago em 2023”, conclui o Bradesco BBI.