Banco Central (BC)

Direto ao Ponto
Banco Central (BC)

Banco Central é a instituição responsável por gerir o sistema financeiro de um país, protegendo o poder de compra da moeda e a estabilidade da política econômica.

Diferentemente de bancos comerciais, como o Itaú Unibanco ou o Bradesco, o Banco Central funciona como fiscalizador, administrador e também como o “banco dos bancos”. De acordo com os registros, o primeiro Banco Central do mundo nasceu na Inglaterra, em 1694.

Quando surgiu o Banco Central brasileiro

Também conhecido por BC, Bacen ou BCB, o Banco Central do Brasil foi criado em 1964 através da Lei nº 4.595. Desde a sanção da Lei Complementar 179/2021, o BC é uma autarquia em regime especial, sem vinculação ao Ministério da Economia e que possui autonomia técnica, operacional, administrativa e financeira.

Quais são as funções do BC

Em resumo, é papel do Banco Central trabalhar para que haja eficiência no sistema financeiro, sempre tentando diminuir os impactos na população. As principais funções são:

  • Emissão da moeda brasileira: o BC é o responsável por emitir a moeda e o papel-moeda para todo o país e regula quanto dinheiro em espécie está circulando. Uma atuação recente nesse setor foi a criação da nota de R$ 200, em julho e 2020;
  • Banco dos bancos: para evitar um efeito dominó de falências bancárias, o BC fornece empréstimos a instituições financeiras assim como também as controla; 
  • Banco do Governo: toda a reserva monetária do país está guardada pelo BC.

Colaborou Anne Dias

Glossário  Banco Central Ir para: Verbetes

Conheça os termos mais importantes para enriquecer a sua Inteligência Financeira

Direto ao Ponto
FED

Federal Reserve Bank (FED) é o Banco Central dos Estados Unidos e é o responsável pela política monetária daquele país.…

Leia Mais Ir para:
Swiper Próximo
Swiper Anterior

Você também pode gostar 🔽

Valor Econômico Atualizado em 19.ago.2022 às 06h41
Megaleilão do Tesouro pressiona mercado

Emissão de R$ 16,7 bi em LTNs e NTN-Fs, concentrada em títulos mais longos, resultou em taxas mais altas no mercado de juros

Redação IF Atualizado em 17.ago.2022 às 19h13
‘Lula ou Bolsonaro eleito tendem a beneficiar Bolsa, mas via ações diferentes’, diz Claudio Deulbrueck, da Solana Capital

Segundo o gestor de fundos, se o exterior não atrapalhar, o pós-eleições no Brasil tende a disparar um gatilho positivo para a Bolsa

Itaú Meu Negócio