Bitcoin cai pelo quarto dia com ‘teste de estresse’ por congestionamento na rede

Fila inédita de autenticação e ampliação dos custos das transações têm complicado a vida dos investidores

O bitcoin (BTC) emenda o quarto dia seguido de baixa em meio a um forte congestionamento na rede, que provoca uma fila inédita de autenticação e ampliou os custos das transações em benefício dos mineradores da rede.

Além do projeto Ordinals, que permite a inscrição de tokens não fungíveis (NFTs) na blockchain do bitcoin, o protocolo BRC-20 – análogo ao ERC-20 dos “smart contracts” do Ethereum – também alimentam o congestionamento ao experimentar a emissão e transferência de “memecoins” na rede do bitcoin, que não foi projetada para essas operações.

Uma bifurcação inesperada da rede do bitcoin, logo depois corrigida, também chamou atenção dos investidores sobre o nível de estresse submetido à mais antiga das blockchains. O processamento dos novos tokens compete com as transações normais da rede, forçando a disparada nas tarifas para se completar uma transação.

Congestionamento

Para Ayron Ferreira, analista-chefe da Titanium Asset, o congestionamento da rede do bitcoin representa um teste para a maior das criptomoedas e motiva a preocupação dos investidores do segmento de ativos digitais.

“É mais uma etapa a ser vivida pelo ouro digital. Além de poder impulsionar a adoção de soluções de segunda camada para o bitcoin, como a Lightning Network, esse momento também é importante para testar a resiliência da rede diante da alta demanda, uma vez que uma das teses do bitcoin é justamente a de ser uma camada segura e confiável de liquidação global e que atenda a todos”, disse.

“São dias bem delicados para o bitcoin, que ontem terminou em queda e hoje cai novamente. O contexto é o congestionamento da rede causado pelo uso diferenciado da criação de tokens e de NFTs. Isso causou um problema técnico na Binance, que por sua vez acabou interrompendo os saques do bitcoin, preocupando o mercado”, disse André Franco, chefe do Research do MB.

Cotações

Perto das 9h20 (horário de Brasília), o bitcoin tinha baixa de 1% nas últimas 24 horas, cotado a US$ 27.643,88, e o ether, moeda digital da rede ethereum, recuava 0,9% a US$ 1.848,04, conforme dados do CoinGecko.

O valor de mercado somado de todas as criptomoedas do mundo era de US$ 1,19 trilhão. Em reais, o bitcoin se valorizava 0,28% a R$ 139.387,99, enquanto o ether registrava alta de 0,29% a R$ 9.307,22, de acordo com valores fornecidos pelo MB.

Aumento das taxas

Segundo Luiz Pedro Andrade, analista de criptoativos da Nord Research, o congestionamento na rede do bitcoin abre um debate sobre a proposta básica do bitcoin de ser uma moeda de transação internacional totalmente digital e barata. Andrade afirma que o aumento das taxas desincentiva a continuidade da criação de NFTs e outras criptomoedas por tornar muito caro este tipo de operação.

“As pessoas que fizeram transações mais modestas e com taxas menores tiveram suas operações travadas na fila de validação. Nenhum minerador selecionava essas transações mais baratas porque tinha um volume alto de operações com taxas mais atrativas”, disse.