Ibovespa sobe 1,10% e volta aos 118 mil pontos; dólar vai a R$ 4,85

Ibovespa avançou com exterior favorável e com Vale subindo mais de 3% no mercado interno; Minerva registra pior desempenho da bolsa de valores hoje

O principal índice da bolsa de valores operou em alta durante o pregão desta terça feira (29) e encerrou o dia com ganho de 1,10%. Desta forma, o Ibovespa, fechou em 118.403, impulsionado pelo avanço dos papéis da Vale e dos bancos. A Vale puxou a bolsa brasileira, com alta de 3,19% nos papéis ON (VALE3).

Os ativos da mineradora subiram diante da perspectiva de novos estímulos econômicos na China, enquanto os bancos tiveram altas em meio aos menores receios sobre mudanças no JCP. O recuo dos juros futuros também ajudou a Bolsa.

No pregão, o destaque também foi para a divulgação de dados de emprego abaixo do esperado nos EUA (leia o relatório na íntegra em inglês). O anúncio dá força à interpretação de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) não precisará voltar a elevar os juros.

Dólar hoje

O dólar, que iniciou o dia em alta, terminou o pregão com desvalorização de 0,42%, cotado a R$ 4,85. No exterior, o dólar também se desvaloriza. O DXY fechou em queda de 0,51%, a 103,531 pontos.

A bolsa de valores também contou com valorização menos expressiva, mas positiva, dos papéis ON e PN de Petrobras (PETR3; PETR4), que subiram 0,37% e 0,22%, respectivamente.

Ações em alta na bolsa de valores hoje

As ações da Eletromídia (ELMD3) lideraram ganhos na bolsa nesta terça-feira, com alta de +14,44%. O destaque negativo ficou com Minerva (BEEF3), cujos papéis se desvalorizaram em -18,26%. O principal motivo da sangria nas ações do frigorífico foi a compra de ativos da Marfrig (MRFG3).

A transação envolve 11 unidades de bovinos no Brasil (incluindo 3 inativas), uma na Argentina, três no Uruguai e uma unidade de ovinos no Chile, além de um centro de distribuição no Brasil.

O pagamento inclui R$ 1,5 bilhão na assinatura do contrato e R$ 6 bilhões no fechamento da transação.
Além disso, considerando a Receita dos ativos negociados, de R$ 15,6 bilhões em 2022, a transação implica em um múltiplo de receita.

Confira as principais altas e baixas na gangorra da Bovespa nesta terça-feira. A lista reflete papéis com volume de transação superior ou equivalente a R$ 1 milhão e foi atualizada às 17h40.

  • Eletromídia ON (ELMD3): +14,44%
  • ClearSale ON (CSLA3): +10,75%
  • Marfrig ON (MRFG3): +10,70%
  • Tecnisa ON (TCSA3): +9,21%
  • Sequoia Logística ON (SEQL3): +7,94%

Piores

  • Minerva ON (BEEF3): -18,26%
  • Recrusul PN (RCSL4): -12,42%
  • Alliar ON (AALR4): -8,46%
  • Fer Heringer ON (FHER3): -7,95%
  • Banco Pine (PINE11): -7,17%

Bolsas de valores nos EUA e na Europa hoje

As bolsas de valores nos Estados Unidos fecharam no azul nesta terça. O mercado viu com bons olhos a divulgação dos dados de emprego nos EUA, que vieram abaixo do esperado.

Os investidores estrangeiros avaliam que esse é um sinal (de muitos) de que o Fed mantenha a taxa de juros no atual patamar, entre 5,25% e 5,50% ao ano. Nesta semana, também será divulgado o PIB americano.

O Dow Jones encerrou o pregão em 34.852 pontos, com alta de 0,85%, enquanto o S&P 500 se valorizou em 1,45%, aos 4.497 pontos. Por fim, a Nasdaq subiu 1,74%, estacionando aos 13.943 pontos, o maior ganho de margem entre as bolsas dos EUA.

As bolsas da Europa também fecharam em alta nesta terça, com expectativa de estímulos na China e aposta em uma postura menos rígida do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). Londres, em particular, subiu quase 2%, na volta de feriado no Reino Unido.

Na capital inglesa, o FTSE 100, subiu 1,72% a 7.464 pontos, enquanto o índice DAX, em Frankfurt, fechou em alta de 0,88%, a 15.930 pontos. O CAC 40, em Paris, avançou 0,67%, a 7.373 pontos, e o FTSE MIB, em Milão, fechou em alta de 1,21%, a 28.889 pontos. Já em Madri, o índice Ibex 35 subiu 0,96%, a 9.581 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 subiu 0,84%, a 6.204 pontos.

Com informações de Estadão Conteúdo