Bolsas dos EUA: Nasdaq se descola e fecha em alta com ajuda do Google; Dow Jones e S&P 500 caem

Veja o desempenho das principais bolsas de Nova York nesta quinta (11)

As bolsas de Nova York fecharam o pregão desta quinta-feira (11) em queda majoritária, puxadas pelo recuo de bancos regionais americanos e pela ação da Walt Disney, que divulgou balanço decepcionante a investidores.

Em contrapartida, a Alphabet (controladora do Google) subiu mais de 4% e impulsionou outras ações do setor de tecnologia.

Índices

O desempenho da dona do Google deu fôlego ao índice Nasdaq, que fechou em alta de 0,18%, a 12.328,51 pontos.

Já o S&P 500 recuou 0,17%, a 4.130,62 pontos.

O Dow Jones cedeu 0,66%, a 33.309,51 pontos.

Bancos

A notícia de que o PacWest Bancorp registrou uma queda de 9,5% de seus depósitos em apenas uma semana retomou as preocupações do mercado quanto à saúde do setor financeiro americano.

A ação do banco despencou 22,7% hoje e levou consigo os papéis do Bank of Hawaii (-10,23%) e Zions Bancorp (-4,51%). O índice S&P 600 Banks Industry fechou em queda de 2,28%, a 430,65 pontos.

Entretenimento

A ação da Walt Disney também teve forte baixa, de 8,73%, após a companhia relatar uma queda no crescimento de assinantes no segundo trimestre fiscal.

O desempenho pesou sobre sua concorrente Paramount, que recuou 3,73%, enquanto a Netflix subiu 2,78%, sob expectativa de que a gigante do streaming ganhe terreno com os resultados ruins da Disney.

O único setor que teve um desempenho consistentemente positivo hoje foi o de tecnologia, liderado pela ação da Alphabet, que subiu 4,31% e fechou no seu maior valor desde 18 de agosto de 2022, a US$ 116,37.

Macroeconomia

Na seara macroeconômica, o índice de preços ao produtor (PPI) dos EUA mostrou desaceleração em abril e sugere melhora do cenário inflacionário, o que pode permitir ao Federal Reserve (Fed) adotar uma postura mais branda à frente.

“O núcleo do PPI está melhorando rapidamente, o que significa que o núcleo do índice de preços de gastos com consumo (PCE) também está melhorando, já que ambas são medidas de preço da economia como um todo. Vemos um enorme risco de queda para o núcleo da inflação do PCE no próximo ano. Se a economia estiver tão fraca quanto esperamos, é provável que a inflação comece a ficar abaixo da meta em meados do ano que vem”, projeta Ian Shepherdson, economista-chefe da Pantheon Macroeconomics.

Ações de tecnologia

A ação da Alphabet, empresa controladora do Google, registrou alta forte nesta quinta-feira e estende sua sequência de pregões positivos nos últimos dias.

Com a alta, os papéis chegaram a ultrapassar a marca do maior valor de fechamento desde 18 de agosto do ano passado, quando terminou a sessão cotada, a US$ 120,17. Porém, no final do pregão, os papéis tiveram um leve recuo e fecharam em US$ 116,57, alta de 4,31%.

Os papéis, que iniciaram 2023 cotados a US$ 89,12, estão sendo beneficiados pelos bons resultados apresentados pela empresa, além da perspectiva de interrupção da alta de juros no país.

Dentre outras ações, Amazon e Meta Platforms ganharam impulso do bom desempenho da Alphabet e subiram 1,81% e 1,16%, respectivamente