Ibovespa sobe 1,06% e supera máxima histórica; dólar segue em queda

Ibovespa renova máxima histórica em 130 mil pontos com Petrobras e petroleiras privadas em alta; dólar continua em queda e fecha a R$ 4,91

A bolsa de valores hoje superou a máxima histórica com alta de commodities e dos setores mais sensíveis aos juros da economia brasileira. Após alcançar os 131.259 pontos, o maior nível para o índice dentro das negociações diárias, o Ibovespa perdeu força no pregão mas sustentou a alta. Assim, o índice fechou o dia em elevação de 1,06%, cotado a 130.842 pontos. O recorde anterior era de 130.776 pontos, registrado em junho de 2021.

O dólar, por outro lado, seguiu em queda, sob o valor de R$ 4,9151. A bolsa de valores hoje enfrentou no dia uma alta generalizada dos juros futuros, mas analistas destacam que os efeitos da Super Quarta continuaram a afetar o pregão.

Veja como está a cotação do índice IBOV agora:

Ibovespa hoje

O Ibovespa hoje foi marcado pela euforia da Super Quarta, que levou o índice a se aproximar da máxima histórica na quarta-feira (14) e romper o patamar dos 131 mil pontos na manhã de hoje.

Também na quarta-feira, o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central realizou o corte de 0,50 ponto percentual. Nos Estados Unidos, o Federal Reserve (BC dos EUA) manteve a taxa de juros entre 5,25% a 5,50% ao ano. As decisões beneficiaram mercados emergentes e a bolsa brasileira.

“O movimento que vemos hoje é uma continuação dos efeitos da Super Quarta, com o investidor digerindo as decisões (do Fed e do BC)”, afirma Gabriel Costa, analista da Touro Investimentos.

O tom “mais conservador do Copom”, reduzindo chances de uma aceleração no corte da Selic, pesou na curva de juros futuros local, que subiu mais 10 pontos-base. É o que destaca Nicolas Borsoi, economista da Nova Futura.

No dia, as petroleiras privadas tiveram forte alta. A ação da Prio (PRIO3) subiu 4,54%, enquanto o papel da 3R Petroleum (RRRP3) se valorizou em 3,00%. A Petrobras (PETR3;PETR4) também teve bom desempenho e ajudou o Ibovespa a bater a máxima histórica. O ativo preferencial surfou alta de 2,17% e o ordinário avançou 2,33%.

Dólar hoje

Enquanto isso, o dólar recuou 0,12% na bolsa de valores hoje. A moeda norte-americana terminou o dia cotada a R$ 4,9151.

O dólar também perdeu força contra moedas de economias desenvolvidas, como o iene e o euro. No cenário internacional, o índice DXY, que mede o desempenho da moeda americana contra pares, cedeu 0,89%, a 101,956 pontos.

Veja a cotação do dólar agora:

Bolsa de valores na máxima: veja ações com maiores altas

Com a máxima da bolsa, a ação da fabricante de tecidos Santanense (CTSA3;CTSA4), parceira da varejista asiática Shein no Brasil, teve o melhor desempenho. A ação ON subiu 51,15% e teve a maior alta da bolsa de valores hoje.

Confira abaixo a lista de ações com maiores altas na bolsa de valores hoje. A lista inclui apenas ações com volume de transação igual ou superior a R$ 1 milhão, e foi atualizada às 18h42.

  • Santanense ON (CTSA3): +51,15%
  • Recrusul ON (RCSL3): +11,80%
  • Kora Saúde ON (KRSA3): +10,40%
  • Coteminas PN (CTNM4): +7,65%
  • Lojas Quero-Quero ON (LJQQ3): +5,84%

Piores ações

Na lanterna na bolsa de valores, o pior desempenho ficou com a ação da incorporadora imobiliária PDG (PDGR3). O papel despencou 14,81%.

Veja abaixo a lista das cinco piores ações da bolsa de valores hoje. O ranking segue o mesmo critério para os principais papéis em alta.

  • PDG ON (PDGR3): -14,81%
  • Casas Bahia ON (BHIA3): -5,66%
  • Grupo Natura ON (NTCO3): -5,22%
  • Azevedo&Travassos PN (AZEV4): -5,08%
  • Petz ON (PETZ3): -4,98%

Bolsas de Nova York

As bolsas de Nova York fecharam em leve alta nesta quinta-feira, 14, após oscilarem durante a tarde, ainda na euforia após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmar na quarta-feira que o corte da taxa básica dos Estados Unidos já está sendo discutido.

O índice Dow Jones subiu 0,43%, aos 37.248,31 pontos, novo recorde histórico, o S&P 500 avançou 0,27%, aos 4.719,57 pontos e o Nasdaq fechou em alta de 0,19%, aos 14.761,56 pontos.

Bolsas da Europa

As bolsas da Europa fecharam na maioria em alta nesta quinta-feira (14) em dia marcado pelas decisões de política dos principais bancos centrais. Hoje, o Banco Central Europeu (BCE), o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) optaram pela manutenção de juros. A mensagem do BCE foi interpretada como mais hawkish que o esperado, o que limitou ganhos. Já o banco britânico seguiu cauteloso sobre as taxas, mas a forte alta da mineração deu forças aos mercados locais levando o índice londrino FTSE 100 a subir mais de 1%.

O FTSE 100 avançou 1,33%, a 7.648,98 pontos, em Londres.

Neste contexto, o DAX recuou 0,08% em Frankfurt, a 16.752,23 pontos, enquanto o FTSE MIB subiu 0,21%, a 30.359,06 pontos, em Milão. O CAC 40 avançou 0,59%, a 7.575,85 pontos, em Paris. Por fim, o Ibex 35, em Madri, teve alta de 0,75%, a 10.171,70 pontos, e em Lisboa, o PSI 20, que subiu 0,75%, 6.505,56.

Com informações do Estadão Conteúdo