Ibovespa sobe 0,99% em fevereiro, apesar de queda no dia; dólar tem alta diária e mensal

Bolsa de valores hoje: veja o desempenho do dólar e do Ibovespa nesta quinta-feira (29)

A bolsa de valores hoje fechou em queda. O Ibovespa perdeu o patamar simbólico de 130 mil pontos ao terminar o pregão desta quinta-feira (29) em 129.020,02 pontos, após queda de 0,87%. No mês de fevereiro, o IBOV avançou 0,99%. Porém, no ano, o desempenho é negativo: queda de 3,85%.

Assim, no pregão do dia, os bancos ajudaram a puxar o principal índice da bolsa para baixo.

Dessa forma, Itaú (ITUB4) perdeu 2,47%, Santander (SANB11) desceu 1,38%, Bradesco (BBDC4) caiu 1,65% e o Banco do Brasil (BBAS3) teve queda de 1,33%.

Dólar hoje

O dólar, por sua vez, fechou em alta discreta, de 0,05%, cotado a R$ 4,9725. No mês, o dólar avança perto de 0,40% e, no ano, sobe 2,48%.

Nesse sentido, o dólar subiu no cenário externo, com o DXY avançando 0,17%, a 104,15 pontos.

ÍndiceVariação do diaVariação do mês
IBOV-0,87%+0,99%
IDIV-0,41%+0,91%
IFIX+0,50%+0,79%
BDRX+0,90%+6,30%
Fonte: Estadão Broadcast

Ações em alta

Veja os papéis da bolsa com as maiores altas do dia.

  • Dasa (DASA3) +9,24%
  • Neogrid (NGRD3) +7,34%
  • Plano e Plano (PLPL3) +7,20%
  • Mitre (MTRE3) +4,39%
  • C&A (CEAB3) +4,23%

Ações em baixa

Confira também as ações que tiveram as maiores perdas.

  • Pão de Açúcar (PCAR3) -8,62%
  • Ambev (ABEV3) -6,47%
  • IMC (MEAL3) -6,14%
  • Intelbras (INTB3) -4,85%
  • Kepler Weber (KEPL3) -4,82%

As cotações se referem às ações que pertencem ou não ao Ibovespa e outros índices. Os dados foram coletados às 18h07 e podem sofrer alterações.

Bolsas mundiais: Nova York

As bolsas de Nova York fecharam em alta, com o Nasdaq marcando o maior patamar de fechamento desde 2021, diante do frenesi das ações ligadas à inteligência artificial. 

O clima veio depois que os dados de inflação nos Estados Unidos confirmaram as expectativas. Os indicadores mantiveram a perspectiva de que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos EUA) deve começar a reduzir os juros no país, provavelmente em junho, um cenário já incorporado aos preços dos ativos.

O pregão foi pontuado ainda por indicadores mistos sobre o ritmo da economia americana, enquanto falas de membros do Fed continuaram reforçando a narrativa de prudência.

O Dow Jones Industrial Average subiu 0,12%, a 38.996,39, após três sessões em queda. O S&P 500 e o Nasdaq também avançaram. O S&P 500 teve ganho de 0,52%, aos 5.096,27 pontos e o Nasdaq marcou +0,90%, fechando aos 16.091,92 pontos.

Os índices acumularam ganhos no mês de fevereiro: o Dow Jones teve alta de 2,22%, o S&P 500 de 5,17% e o Nasdaq, de 6,12%.

Europa

A Bolsa de Frankfurt teve ganhos mais fortes ante os demais mercados na região, depois da desaceleração mais acentuada dos preços ao consumidor na Alemanha. Os investidores reagiram ainda a balanços fracos de algumas grandes empresas da região, como AB InBev e Air France-KLM.

O índice pan-europeu Stoxx 600 ficou estável, a 494,60 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 ganhou 0,07%, aos 7.630,02 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX avançou 0,44%, aos 17.678,19 pontos. O CAC-40, referencial da Bolsa de Paris, teve variação de -0,34%, para encerrar aos 7.927,43 pontos, na mínima do dia.

Em Madri, o Ibex 35 fechou em baixa de 0,56%, a 10.012,70 pontos.

Entre os outros índices referenciais da região, o FTSE MIB, de Milão, caiu 0,11%, a 32.580,94 pontos; em Lisboa, o PSI 20 teve baixa de 0,56%, aos 6.157,96 pontos.

Ibovespa ‘derrapou na primeira curva’

Assim, observando o mercado, a análise gráfica do Itaú BBA assinada por Fábio Perina e equipe considerou que o Ibovespa “derrapou na primeira curva”. A análise foi feita antes da abertura do mercado no último dia de fevereiro.

No fechamento de ontem, a bolsa de valores desvalorizou 1,16%.

“Depois de conseguir superar o patamar dos 130.600 pontos, o Ibovespa voltou a cair e não deu continuidade de subida”, descreve o relatório. “Nem tudo está perdido, mas o índice derrapou logo na primeira curva e perde um pouco o momento de subida”, continua.

Bolsa de valores hoje: dados sobre emprego

A taxa de emprego ficou estável em 7,6% em janeiro, segundo dados divulgados pelo IBGE. O rendimento médio real habitual dos trabalhadores chegou a R$ 3.078 no trimestre móvel encerrado no primeiro mês do ano – alta de 1,6% no trimestre e de 3,8% no ano.

Assim, o mercado também opera hoje em compasso de espera pelos resultados do PIB do Brasil, que serão divulgados amanhã pela manhã.

Dessa maneira, os números mostram o desempenho da economia no quarto trimestre de 2023 e durante todo o ano passado. A expectativa é grande.

O mercado se divide a respeito das estimativas do PIB, conforme apontou levantamento feito pela Inteligência Financeira com 13 instituições distintas.

Quer saber mais? Clique aqui.

Com informações do Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo