Microsoft confirma corte de dez mil funcionários; ações caem em NY

Presidente da Microsoft, Satya Nadella, disse que a demissão vai afetar menos de 5% da força de trabalho global da empresa

A Microsoft (MSFT) anunciou nesta quarta-feira (18) que vai demitir dez mil funcionários, tornando-se a mais nova empresa do setor de tecnologia a reduzir custos em meio às preocupações sobre a economia global.

O diretor-presidente da Microsoft, Satya Nadella, escreveu nota para os funcionários explicando que a demissão em massa vai afetar menos de 5% da força de trabalho global da Microsoft.

Antes, a Meta tinha sido uma das empresas a anunciar corte em massa de mão de obra para reduzir lucros, o que foi bem recebido pelo mercado. Com a Microsoft, o comportamento das ações têm sido diferente, ao menos nas primeiras horas depois do anúncio.

Às 13h26, as ações da Microsoft caíam 1,34%, a US$ 237,14, na Nasdaq, em Nova York, depois de ter iniciado o pregão em trajetória positiva.

No mesmo horário, na B3, o BDR da empresa de tecnologia (MSFT34) também registava queda, de 0,61%, valendo R$ 50,58.

Desaceleração global é a justificativa

Nadella afirmou que a redução na força de trabalho é necessária por causa da desaceleração econômica global, destacando que empresas ao redor do mundo começaram a ficar mais cautelosas.

Ele acrescentou que a empresa vai fazer uma baixa contábil de US$ 1,2 bilhão no seu próximo resultado trimestral, que será divulgado na semana que vem, reduzindo o lucro por ação em US$ 0,12, por causa de custos de rescisões contratuais.

O diretor-presidente da Microsoft não disse quais setores ou regiões serão afetados pelos cortes, mas afirmou que contratações estratégicas serão mantidas.