Ação da XP (XPBR31) cai em Nova York com resultados abaixo do esperado pelo mercado

O que atrapalhou no alinhamento às expectativas, segundo o Goldman, foi o aumento das despesas operacionais da XP, "levando a margens abaixo do objetivo-alvo do banco no médio prazo"

As ações da XP Investimentos (XP.O) caíam nesta quarta (28), em Nova York, com baixa de 3,62%, enquanto os BDRs negociados na B3 (XPBR31) cediam 2,19%.

O lucro líquido da XP foi de R$ 1,04 bilhão no quarto trimestre de 2023, abaixo das expectativas do banco Goldman Sachs e Ativa Investimentos.

Goldman revisa lucro da XP (XPBR31) para 2024

O lado bom para o resultado da XP, de acordo com o Goldman Sachs, é que o lucro antes de impostos ficou alinhado às expectativas da própria XP. O lucro líquido do quarto trimestre de 2023 veio 3% abaixo das estimativas do mercado.

O que atrapalhou, segundo o Goldman, foi o aumento das despesas operacionais, “levando a margens abaixo do objetivo-alvo do banco no médio prazo”. O time de analistas destacou que a receita líquida da XP também caiu na comparação trimestral, devido ao menor faturamento na divisão de varejo e negócios, mas recuperação na receita de clientes institucionais.

Enquanto isso, as despesas operacionais ficaram estáveis na comparação trimestral, mas subiram 31% sobre o quarto trimestre de 2023, nota o Goldman. Apesar de manter uma estimativa de aumento de 24% em lucro por ação da XP (XPBR31) para este ano. Executivos da XP prometeram melhorar as margens da empresa.

Já a Ativa Investimentos destacou em relatório que a receita de wealth management da XP se manteve fraca, “fruto de um take rate (comissões de autônomos) abaixo do esperado”. Mas a perda em receita foi compensada pelo segmento institucional e um reaquecimento de M&As.

“Embora abaixo das nossas expectativas, o trimestre não muda nossa perspectiva para o resultado da empresa ao longo de 2024”, afirmou Pedro Serra, analista da Ativa. A corretora recomenda a compra do BDR da XP.

Resultado da XP está ‘no retrovisor’ para Credit Suisse e BTG

O resultado da XP (XPBR31) não surpreendeu o BTG Pactual, que já esperava queda na comparação sequencial e considerou o balanço como um “não evento”.

“Alguma contração já era esperada pelo buy side“, afirmou o relatório.

O BTG ainda observou que o mercado de ações começou 2024 com desempenho abaixo do esperado, o que pode ter adiado a recuperação da XP.

Contudo, a equipe do BTG segue otimista com a ação e manteve recomendação de compra para o BDR da XP. “Continuamos a acreditar que a recuperação virá e vemos a ação como atrativa (justificando a recomendação de Compra), apesar de reconhecermos um momento de curto prazo ainda pouco inspirador”, afirmaram os analistas.

Já o Credit Suisse afirmou que o lucro veio em linha com as estimativas e que a XP mostrou um trimestre resiliente no em vendas e receita bruta. “A receita institucional também veio acima do esperado”.

Já o lucro antes de impostos ficou novamente abaixo das expectativas do Credit Suisse, “mas foi favorecido por uma taxa efetiva de impostos menor”.

O Credit também notou que a XP Investimentos anunciou um programa de recompra de 2,5 milhões de ações, ou 0,5% do free float do banco.