Planeje e alcance: como organizar as finanças para realizar seu sonho em 1 ano

No aniversário da IF, vamos te mostrar os pontos para você se estruturar

Seja a compra de um carro, um novo curso ou aquela viagem que parece inalcançável. Afinal, todo mundo tem um sonho e, para tirá-lo do papel, é preciso se planejar. E saber como organizar as finanças, claro, faz parte disso.

“Sonhar é literalmente o primeiro passo desse planejamento financeiro. Ou seja, significa sentar, traçar um caminho e ter muito claro aonde quer chegar. Dá para fazer muita coisa em um ano”, ressalta Ariane Benedito, economista, especialista em mercado de capitais e planejamento financeiro.

No aniversário de 1 ano da Inteligência Financeira, vamos te ajudar, então, a transformar projetos em realidade e planejar um sonho para os próximos 12 meses.

Dê cor e vida ao sonho

Antes de começar o planejamento financeiro, experimente tornar o seu sonho visual. Pois bem, já ouviu falar no mural dos sonhos? Ele nada mais é do que a projeção dos sonhos em imagens concretas. Neste caso, você pode focar no que você deseja do próximo ano. 

Portanto, a dica é fazer recortes, reunir frases e imagens em um único quadro. Dá para colocar na parede do quarto, no plano de fundo do computador ou até mesmo na porta da geladeira. Dessa forma, visualizando seu sonho, você projeta melhor a realização e se lembra sempre aonde quer chegar.

Imagem de aniversário da Inteligência Financeira

Quanto custa esse sonho?

Uma das mais importantes etapas de como organizar as finanças é entender quanto custa este sonho. Então, quer comprar um carro ou garantir aquela viagem para o exterior? Pesquise os preços, as condições de pagamento e o valor exato necessário para realizar o sonho. Assim, fica mais fácil definir uma meta para os próximos 12 meses.

Crie uma estratégia de pagamento

Ainda nessa etapa, você deve pesquisar as formas de pagar por esse sonho e o quanto você tem de receita e despesas por mês (e o valor que sobra no final). É possível parcelar? Se sim, você pode encaixar as parcelas no seu orçamento sem desestruturar o restante? Mas e se for à vista, quanto precisa juntar por mês? Colocar tudo isso em um papel, planilha ou aplicativo é fundamental para uma boa estratégia de pagamento.

“Ela precisa ser definida de forma clara e consciente. Em um ano você pode se planejar para guardar um determinado valor por mês ou até mesmo quitar um valor à vista e outro parcelado. O importante é começar a financiar esse sonho”, ressalta Ariane. 

Faça o dinheiro render

Você pode (e deve) ter uma ajudinha para realizar esse sonho. Em 12 meses é possível investir, aos poucos, e fazer o dinheiro render enquanto o planejamento acontece. Hoje existem opções no mercado com liquidez diária ou de curto prazo, ideais para sonhos de um ano. “Você pode investir mês a mês, já que só vai usar o valor integral no final do período. É importante escolher ativos menos arriscados, como tesouro direto, CDBs e fundos de investimento de baixa volatilidade“, explica Ariane.

Disciplina é chave

Sabemos que organizar as finanças para viver um sonho pode ser trabalhoso e que, durante esses 12 meses, momentos desafiadores podem surgir. “Quando se trata de um sonho, é natural ter que abrir mão de algumas coisas. Neste período, você pode precisar diminuir um pouco seu padrão de vida e fazer algumas escolhas”, explica Ariane. 

Finanças é como dieta

Planejamento em mãos, lembre-se sempre: a caminhada para o sonho não deve ser uma tortura. Na visão da especialista Ariane, tudo deve ser feito com equilíbrio.

“Não abra mão de tudo aquilo que  te faz feliz no presente para ter algo no futuro. Planejamento não deve ser sinônimo de restrição. Planejamento é uma ferramenta facilitadora”. 

Ariane Benedito, economista, especialista em mercado de capitais e planejamento financeiro

Isso significa ter disciplina, traçar suas metas, mas não deixar de fazer o que ama — seja uma saída com os amigos por mês, uma ida ao cinema ou pedir sua comida preferida no delivery. Sem esses pequenos prazeres, a probabilidade de você interromper o processo é alta. “Finanças é como dieta. Se você restringir demais, vai acabar desistindo. Para não correr esse risco, é importante não trazer restrições excessivas”, ressalta Ariane.

Leia a seguir

Leia a seguir