Investimento médio em ações da Eletrobras com FGTS foi de R$ 16,2 mil

Brasileiros com mais estabilidade no emprego foram os que mais investiram

Privatização da Eletrobras: devo virar acionista? A conta de luz vai ficar mais cara?
– Ilustração: Marcelo Andreguetti

Pontos-chave

  • Apetite para adquirir os papéis foi maior do que o disponível
  • A demanda foi de R$ 9 bilhões, mas o limite era de R$ 6 bilhões

A aplicação média dos compradores das ações da Eletrobras com dinheiro do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) foi de R$ 16,2 mil, conforme dados dos dez fundos mútuos de privatização da companhia que mais captaram, apurados na CVM pelo Valor Investe.

O alto valor aponta que os brasileiros com mais estabilidade no emprego e saldo maior do FGTS foram os que mais entraram na oferta, como aconteceu em outros momentos da história em que os investidores ganharam a chance de adquirir papéis com o FGTS, da Petrobras e da Vale, conforme indicou um estudo do BNDES.

XP foi a instituição que mais captou

A XP, maior corretora do país, foi a instituição financeira que mais captou dinheiro dos trabalhadores que participaram da privatização com FGTS. A corretora alcançou R$ 1,8 bilhão, acima da Caixa, banco público operador do fundo de garantia, que atingiu R$ 1,4 bilhão. Em seguida, ficaram as instituições financeiras Itaú, Banco do Brasil e BTG.

Ao comparar o número de pessoas e não o valor total captado, a Caixa saiu na frente, com 106,7 mil compradores, seguida pela XP, com 93,7 mil cotistas. Na sequência, ficaram os bancos tradicionais Itaú, Banco do Brasil e Bradesco.

E ao olhar para a aplicação média, dividindo a captação pela quantidade de investidores, a maior foi a do Safra, banco de alta renda, de R$ 27,6 mil. Em seguida, BTG, XP e Itaú empataram, com investimento médio de cerca de R$ 20 mil.

Valor investido ficou abaixo do esperado

Vale destacar que o valor aplicado pelos compradores das ações da Eletrobras com FGTS foi abaixo do desejado inicialmente. Isso acontece quando o apetite dos investidores para adquirir os papéis de uma companhia é maior do que a oferta disponível.

No caso da empresa, a demanda para investir com o fundo de garantia foi de quase R$ 9 bilhões, enquanto o limite de alocação por meio do FGTS era de R$ 6 bilhões. Por isso, foi necessário um rateio, ou seja, uma divisão do dinheiro entre os trabalhadores, para que todos pudessem entrar na oferta.

A proporção foi de 66,79%, ou seja, para cada R$ 10 mil pedidos para serem reservados, a pessoa levou o equivalente a R$ 6.679 em ações da Eletrobras. A diferença não aplicada ficou na conta do fundo de garantia.

Quanto movimentou a operação com a Eletrobras

A operação como um todo, incluindo os compradores sem FGTS, movimentou cerca de R$ 34 bilhões. Os investidores que não usaram o fundo de garantia investiram o valor desejado inicialmente, ou seja, não houve rateio entre eles.

O que os compradores devem fazer agora?

Se você comprou as ações da Eletrobras, é hora de ficar de olho: ano eleitoral pode ser ruim para a empresa, mas no longo prazo vai ser bom para o investidor. A opinião é de Felipe Vella, analista da corretora Ativa, que fala mais sobre o ativo na entrevista abaixo:

Apesar de render apenas apenas 3% ao ano mais a TR (Taxa Referencial), o dinheiro do FGTS é uma poupança forçada, que costuma ser sacada quando o trabalhador fica com alguma doença grave ou desempregado, por exemplo.

Assim, os especialistas afirmam que quem ainda não tem uma reserva de emergência não deveria comprar ações, um investimento de renda variável, com esse recurso. “Se você já comprou, agora a prioridade deve ser formar uma reserva de emergência em um investimento de renda fixa”, aconselha Matheus Spiess, analista da casa de análises Empiricus.

A quem já tem uma reserva de emergência, mas só tem os papéis da Eletrobras na carteira, ele indica começar a montar uma carteira de investimentos mais diversificada.

Os analistas também afirmam que boa parte do apetite dos brasileiros que compraram as ações da Eletrobras com FGTS foi causado por um efeito manada, o que é perigoso para os pequenos investidores.

“As perspectivas para a Eletrobras já eram boas e ficaram ainda melhores com tanta demanda pelas ações da companhia, mas isso não significa que as ações não possam cair em ano de eleição, o que é ruim para quem não está acostumado com a renda variável”, afirma Enrico Cozzolino, sócio e analista da casa de análises Levante. “A história de Petrobras e Vale se repete. Nem sempre os investidores conhecem os riscos que estão correndo”, diz.

Por quanto tempo deixar o dinheiro investido em Eletrobras?

Quem comprou as ações da Eletrobras na privatização deve manter o dinheiro investido pelos próximos cinco anos, no mínimo, sugere João Gabriel Abdouni, analista de ações da casa de análises Inv. “Carregue Eletrobras no longo prazo para ganhar mais que no FGTS”, aconselha.

Ele lembra que quem investiu em Petrobras e Vale com FGTS e ficou nos Fundos Mútuos de Privatização até agora se deu bem, apesar de ter atravessado momentos difíceis durante o período.

Petrobras rendeu 1.298%; vale, 2.881%

Os fundos da Petrobras acumularam alta de 1.298% até o final maio, considerando o desconto dado na compra das ações e a taxa de administração. Já os fundos da Vale acumularam aumento de 2.881% até o fim do mês passado.

A Inteligência Financeira é um canal jornalístico e este conteúdo não deve ser interpretado como uma recomendação de compra ou venda de investimentos. Antes de investir, verifique seu perfil de investidor, seus objetivos e mantenha-se sempre bem informado.

Com conteúdo do site Valor Investe, um veículo Globo Notícias