Expectativa de crescimento global, queda do dólar, privatização da Eletrobras

Isabella Carvalho e Victor Vietti falam sobre esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos nesta quinta (9)

O Manhã Inteligente desta quinta (9), fala sobre a expectativa de crescimento global, a queda do dólar e as atualizações da privatização da Eletrobras. Isabella Carvalho e Victor Vietti falam sobre esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos.

FMI revisará crescimento mundial para baixo

O Fundo Monetário Internacional deve, provavelmente, realizar uma considerável revisão para baixo da expectativa de crescimento global na próxima divulgação do cenário econômico em julho. É o que afirmou a diretora-gerente assistente do órgão em um evento on-line promovido pelo “Financial Times”.

Segundo ela, de lá para cá, as consequências dos fechamentos de cidades e setores na China foram mais significativas do que esperavam. Houve ainda efeitos mais complexos da guerra para a Europa, assim como uma escalada de sanções contra a Rússia. A diretora do FMI também falou sobre o cenário de inflação global, que tem se mostrado desafiador.

Queda do dólar: moeda pode chegar a R$ 4, dizem analistas

O dólar pode se aproximar de R$ 4 depois das eleições, dizem analistas da AZ Quest e da BTG Asset. Na visão de Tiago Berriel, um dos fatores que podem tornar esse cenário possível é o nosso diferencial de juros em relação aos Estados Unidos, que estão mais elevados em comparação ao país norte-americano.

Já Walter Maciel, da AZ Quest, tem uma postura otimista em relação aos ativos brasileiros. Na visão dele, os dois candidatos à presidência do Brasil são bem conhecidos pelos investidores e, qualquer que seja o vencedor, o próximo presidente não tem incentivos para provocar uma grande desorganização das questões fiscais no país. Walter disse que não vê essa incerteza toda que as pessoas enxergam.

Eletrobras define preço da oferta de ações

Trazendo atualizações sobre Eletrobras. A companhia define hoje o preço da sua oferta de ações e pode movimentar entre 34 e 35 bilhões de reais. Os números finais ainda estão sendo fechados, já que o período de reserva encerrou ontem.

Nesta quarta-feira, a empresa tinha demanda de sobra para efetivar a operação — as reservas, que à tarde estavam em 53,5 bilhões de reais, no fim do dia se aproximavam de 60 bilhões, segundo fontes ouvidas pelo Valor Econômico. Somente a procura via FGTS estava em torno de R$ 7,5 bilhões, o que sugere que deverá haver algum rateio entre os investidores.


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 18h48
Fleury compra Pardini e se aproxima da Dasa no setor de diagnóstico; fusão não altera perspectiva de crescimento, diz Itaú BBA

As ações da Pardini fecharam com alta de 18,99%, negociadas a R$ 19,99, e as da Fleury subiram 16,10%, cotadas a R$ 16,30

5 min
Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 18h54
Ibovespa cai 11,50% em junho no pior mês para o mercado local desde março de 2020

Índice perde 5,99% no primeiro semestre; destaque no pregão de hoje, Fleury disparou 16,1% após assinar acordo de fusão com Pardini, que subiu 18,99%

1 min
Redação IF Publicado em 30.jun.2022 às 17h20
Dólar fecha em alta nesta quinta e avança 10% em junho

Com o resultado desta quinta, o dólar acumulou alta de 10,13% em junho. No ano, ainda tem desvalorização de 6,14% frente ao real

3 min
Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 19h10
S&P 500 registra pior primeiro semestre desde 1970, Nasdaq cai quase 30% no semestre

O índice Nasdaq, que reúne empresas não financeiras e as de tecnologia, caiu mais de 20% nos últimos três meses, seu pior desempenho desde 2008

4 min
Redação IF Publicado em 30.jun.2022 às 14h23
4 min