CCJ do Senado aprova por 16 votos a 10 parecer final sobre a PEC dos Precatórios

Senador Fernando Bezerra (MDB-PE), líder do governo, deve ser reunir com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), para pedir que a PEC seja levada ao plenário ainda nesta terça-feira

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Pontos-chave

  • Para garantir o avanço da matéria, foi necessário que o governo aceitasse uma série de novos ajustes no texto, incluindo vários acenos aos governadores

O plenário da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou nesta terça-feira, por 16 votos a 10, a proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Precatórios. Para garantir o avanço da matéria, foi necessário que o governo aceitasse uma série de novos ajustes no texto, incluindo vários acenos aos governadores. Ainda assim, a PEC continua impondo uma espécie de “drible” na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Isso porque o relatório do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo, não aponta qualquer fonte de receita para compensar o pagamento do Auxílio Brasil de forma permanente.

Agora Bezerra deve ser reunir com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), para pedir que a PEC seja levada ao plenário ainda nesta terça-feira. A avaliação do governo é que, a cada dia, novas demandas por mudanças devem aparecer, o que pode complicar a aprovação da proposta. Como forma de pressionar os senadores, o ministro da Cidadania, , João Roma, foi à CCJ acompanhar a discussão in loco.

Na prática, o parecer final se apoia na “tese” de que a abertura do espaço fiscal no teto de gastos em si já seria suficiente para garantir a compensação fiscal do novo programa de transferência de renda. Além de não prever compensação fiscal, a PEC ainda sugere dispensar de limitações legais e fiscais justamente os programas sociais de combate à pobreza. Sobre isso, Bezerra disse que fez um único ajuste no qual deixa explícito que essa “excepcionalidade” só valerá para 2022. Nos anos seguintes, será necessário encontrar uma fonte de recursos.

Com Valor Econômico.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 09h49
Guedes diz ser possível reajuste de 5% para servidores: ‘Mas esqueçam inflação anterior’

A proposta do governo de aumento do funcionalismo público tem sofrido resistências de diversas categorias

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h55
Inflação: pequenas mudanças driblam a disparada dos preços

Com regras simples, você vai tomar as melhores decisões para o seu bolso

Redação IF Atualizado em 25.maio.2022 às 08h46
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 07h48
Bolívia reduz envio de gás para o Brasil e custo pode subir

Produção boliviana tem sido direcionada para atender uma demanda maior da Argentina

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 07h28
Bagagem despachada em voo: Bolsonaro deve decidir se confirma ou rejeita gratuidade

O governo argumenta que a proibição de cobrança fará com que as aéreas de baixo custo não venham para o Brasil

Valor Econômico Publicado em 24.maio.2022 às 16h31
Brasil preocupa mais por crescimento do que por eleição, em Davos, diz Mesquita, do Itaú

Em conversas no evento, economista-chefe do banco diz ter constatado que, num ambiente mundial complicado, o Brasil é visto como um país bem posicionado, como grande exportador de alimentos

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 18h02
Prévia da inflação de maio deve elevar projeções para a Selic, avaliam economistas

Analistas do mercado consideram que ciclo de aperto monetário pode se estender mais um pouco