Bolsas da Europa fecham em alta, com melhora do humor em NY e otimismo sobre China

As ações do setor bancário lideraram os ganhos

Foto: Pexels

As bolsas europeias fecharam em alta significativa nesta segunda-feira, acompanhando uma melhora de humor em Nova York e recebendo suporte também de comentários do presidente americano, Joe Biden, de que o governo americano estaria considerando a possibilidade de reduzir as tarifas sobre a China.

Após ajustes, o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 1,26%, a 436,54 pontos. O FTSE 100, índice de referência da bolsa de Londres, subiu 1,67%, a 7.513,44 pontos, enquanto o DAX, de Frankfurt, avançou 1,38%, a 14.175,40 pontos, e o CAC 40, de Paris, ganhou 1,17%, a 6.358,74 pontos. Em Milão, o FTSE MIB fechou em alta de 0,17%, a 24.136,56 pontos, e o Ibex 35, de Madri, subiu 1,67%, a 8.625,80 pontos.

As bolsas europeias recebem algum suporte depois que o S&P 500 conseguiu evitar uma entrada em “bear market” – nível técnico que aponta para tendência de queda e é marcado pela perda de 20% em relação ao pico recente – na sexta-feira passada, assim como de uma melhora do humor na sessão desta segunda-feira. em Wall Street

Por volta das 13h15, o Dow Jones operava em forte alta de 2,14%, a 31.929,95 pontos, enquanto o S&P 500 sobe 1,85%, a 3.973,42 pontos, e o Nasdaq avança 1,50%, a 11.525,25 pontos.

As ações do setor bancário – que é também o de maior peso no Stoxx 600 – lideraram os ganhos hoje, fechando em alta de 3,26% no índice pan-europeu. Outros destaques positivos do dia foram as ações do setor de matérias-primas, que subiram 2,33%, e as de energia, que subiram 1,99%, com as companhias de mineração e petróleo recebendo impulso de uma melhora das perspectivas em relação à China.

Parte do otimismo em relação à China veio com os comentários do presidente dos Estados Unidos, de que ele estaria considerando reduzir ou até suspender as sobretaxas às importações chinesas impostas durante o governo Trump trazem certo otimismo aos mercados. Biden está em viagem oficial pela Ásia, na primeira visita à região desde que tomou posse na Casa Branca.

“Os ruídos dos EUA na Ásia, particularmente comentários sobre as tarifas contra a China, parecem ter despertado algum otimismo passageiro no mercado, mas será preciso mais do que isso para redefinir a trajetória de baixa, com o S&P 500 ainda sendo negociado abaixo da média de 10 anos pela primeira vez desde março de 2020”, disse Neil Wilson, analista-chefe de mercado da Markets.com, em nota.

Já na Europa, os investidores analisam os comentários da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, de que a autoridade monetária está em vias de retirar a taxa de depósito do terreno negativo até o final de setembro e aumentá-la ainda mais a partir daí. “Com base na perspectiva atual, provavelmente estaremos em posição de sair das taxas de juros negativas até o fim do terceiro trimestre”, disse Lagarde em um post publicado no site do BCE. A taxa de depósito do BCE atualmente está em -0,5%.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 18h11
NY: Bolsas fecham em alta e quebram sequencia de três semanas de perdas; Nasdaq acumula alta de 7,5%

Ainda que o medo por uma recessão continue presente, o temor vem sendo calibrado, com analistas enxergando exagero nas projeções

Redação IF Atualizado em 24.jun.2022 às 18h49
Ibovespa fecha semana em baixa de 1,15%; dólar alcança maior valor desde fevereiro e sobe 2,13% na semana

Moeda americana voltou a superar R$ 5,25 e tem 4ª semana consecutiva de alta frente ao real

Papo de Finanças Publicado em 24.jun.2022 às 17h04 Duração 8 min.
Como ter segurança nos investimentos?

Você está se sentindo aflita com tanta instabilidade na economia? Nina Silva explica o que fazer em momentos tão tensos

Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 16h21
Americanos buscam ações defensivas com medo da recessão

Investidores monitoram o Fed, que quer derrotar a inflação a qualquer custo

Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 12h57
Dólar apresenta volatilidade e bate R$ 5,27 na máxima

Moeda americana opera sem uma tendência definida

Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 12h53
Inflação e baixa renda inibem recuperação do consumo no Brasil

Indicador da FGV mostrou uma melhora da confiança entre as faixas de maior poder aquisitivo

JOTA Publicado em 24.jun.2022 às 12h39
Projeto transforma créditos de ICMS em ativos virtuais para negociação

Proposta tenta incentivar as exportações no país; especialista afirma que projeto é importante, mas ainda imaturo

Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 11h46