Sidney Klajner, do Einstein: ‘A tecnologia vai possibilitar vidas mais saudáveis’

Einstein expande seu braço de ensino e pesquisa com investimento de R$ 700 milhões

Foto retratando o médico Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.
O médico Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. – Foto: Fábio H. Mendes/E6 Imagens/Divulgação

A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein inaugura oficialmente em junho, na zona de sul de São Paulo (SP), o seu novo Centro de Ensino e Pesquisa (CEP). O moderno prédio (ver abaixo), projetado pelo arquiteto israelense Moshe Safdie, que criou o Museu do Holocausto de Jerusalém, tem 44 mil metros quadrados, oito pavimentos, teto de vidro para permitir iluminação natural, plantas nativas da Mata Atlântica, eficiência energética e custou R$ 700 milhões. Tudo foi idealizado – e desenhado – para ser um espaço de convivência central, com intuito de aproximar estudantes e pesquisadores.

Em entrevista à Inteligência Financeira, o médico Sidney Klajner, presidente do Einstein, fala da expectativa de ver o centro em pleno funcionamento. Ao todo, a estimativa é que até 6.300 pessoas circulem diariamente pelo espaço. Além da assistência aos pacientes, Klajner diz que o novo centro vai fortalecer os outros pilares da instituição: o ensino, a educação, a pesquisa e a inovação.

Na avaliação do médico, as salas de aula e laboratórios vão contribuir para fomentar o conhecimento e impedir a saída de profissionais qualificados do país, que muitas vezes vão embora para o exterior por falta de investimento. Por outro lado, na projeção de Klajner, os trabalhos que serão desenvolvidos no espaço vão apoiar uma medicina cada vez mais personalizada, com diagnósticos e tratamentos específicos e mais eficientes.

Leia a seguir trechos editados da entrevista com Sidney Klajner.

Capacidade científica desperdiçada

“Nos últimos anos, especialmente nos que antecederam a pandemia, a gente viu cada vez mais uma diminuição do investimento do fomento à pesquisa. Nós temos no Brasil cabeças extremamente boas e criativas. Cientistas muito bem formados, que, por falta de condições de investimento para projetos, acabam saindo do país.

A pandemia mostrou para gente que muitas entrevistas sobre o assunto eram dadas por brasileiros que estavam fora. Eles tinham que estar aqui.

Precisamos de investimento em programas que levem a uma pesquisa de qualidade e leve o Brasil a fazer parte de um seleto grupo de países que são detentores de pesquisa de vanguarda.”

A importância de gerar conhecimento

“Ao longo da pandemia, nossos pesquisadores se reuniram e analisaram mais de 30 mil artigos para fornecer uma informação confiável. Porque a gente precisou comprovar a eficácia de alguns medicamentos.

O instituto de pesquisa do Einstein já ocupava um papel de destaque como a organização privada de maior número de publicações em artigos e citações de artigos. Com o novo prédio, a gente demonstra a importância que o Einstein dá para a pesquisa, o quanto ela desempenhou papel fundamental no enfrentamento à pandemia quando foi chamada.

Ter neste ambiente laboratório de pesquisas de vanguarda vão fazer diferença no tratamento, no diagnóstico de doenças, que hoje são desafiadoras.”

Retorno para a sociedade

“A pesquisa acaba validando as perguntas que a assistência faz, para trazer novas tecnologias, novos medicamentos ou novas práticas assistenciais. E isso vai contribuir, porque tudo que é feito aqui, nós buscamos levar para a sociedade em geral por meio das parcerias públicas.

Através do conhecimento gerado, a tecnologia pode contribuir para vidas mais saudáveis.”

O novo Centro de Ensino e Pesquisa (CEP) Albert Einstein, na zona sul de São Paulo (SP), tem 44 mil metros quadrados, oito pavimentos e custou R$ 700 milhões – captados por meio de doações. Foto: Divulgação

Ciência (vacina) questionada

“Quem faz o tipo de comentário de que ‘as vacinas contra covid ficaram prontas rápido demais e por isso não seriam confiáveis’ é alguém totalmente desinformado do que acontece em pesquisa. A tecnologia já era estudada há muitos anos e de domínio de pesquisa. O que precisava? Adequar para este tipo de vírus.

Então, quando colocamos o tempo urgente, com o mundo inteiro envolvido no processo, temos uma agilidade para que tecnologia que estava sendo pesquisada seja adequada para aquela finalidade.

Agora, com o novo polo de pesquisa e um maior número de centros, a gente pode produzir o imunizante aqui mesmo. Porque vamos ter cientistas e ambiente adequado para isso ser realizado.”

Medicina personalizada

“A medicina de precisão, a grosso modo, sai de um modelo que a medicina tem de tratar a média do que acontece com os pacientes e passa a ter um tratamento individualizado, baseado naquele paciente.

Isso pode ser através do sequenciamento do seu genoma. Por exemplo, eu sei que este tipo de genoma pode aumentar o risco de tais doenças. Ou, este tipo de genoma não responde a um determinado tipo de tratamento. Ou o médico pega um tumor que acabou de operar e sequencia o genoma do tumor para saber as características.

A partir disso – e da capacitação contínua dos profissionais – vamos construindo um banco de dados para aperfeiçoar os diagnósticos e termos tratamentos mais específicos e melhores.”


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 24.jun.2022 às 17h58
Como o TikTok se tornou uma máquina de fazer dinheiro?

Plataforma vai triplicar receita publicitária este ano, para US$ 12 bi e ainda amplia ganho de tiktokers, avança em games e e-commerce

8 min
Redação IF Publicado em 23.jun.2022 às 13h09
Desembargador manda soltar ex-ministro Milton Ribeiro

Ex-titular da Educação foi preso pela Polícia Federal na operação Acesso Pago

3 min
Redação IF Publicado em 22.jun.2022 às 13h12
Prisão de Milton Ribeiro: investigação contra ex-ministro da Educação começou no STF

A Operação 'Acesso Pago' apura indícios de tráfico de influência e corrupção na liberação de recursos públicos

2 min
Redação IF Publicado em 21.jun.2022 às 19h42
NY: Bolsas fecham em alta; Tesla sobe mais de 9% na Nasdaq e setor de energia lidera ganhos

As negociações desta terça foram marcadas pelo forte avanço do setor de energia e do segmento de consumo

3 min
Redação IF Publicado em 20.jun.2022 às 08h10
Surto provocado por variantes da ômicron atrapalha os planos do verão nos EUA

As pessoas estão deixando de ir ao trabalho ou a eventos sociais

5 min
Redação IF Publicado em 19.jun.2022 às 08h39
Tatiana Salem Levy: Por que é preciso que as mulheres se escrevam

Hélène Cixous, Elena Ferrante e a relação entre corpo e escrita

8 min
Redação IF Publicado em 19.jun.2022 às 08h31
Google lança mostra digital de Gilberto Gil com disco inédito de 1982

O acervo disponível na plataforma global Google Arts & Culture inclui 41 mil imagens, 900 vídeos e gravações históricas digitalizadas

1 min