WEG (WEGE3), a ‘fábrica de bilionários’, tem crescimento de lucro e receitas no 4º tri; demanda por seus produtos segue aquecida

No ano, o lucro líquido da WEG foi de R$ 4,2 bilhões, o que representa um crescimento de 17,3% sobre 2021

A WEG (WEGE3) registrou lucro líquido de R$ 1,19 bilhão no quarto trimestre, um crescimento de 36,5% na comparação anual. As receitas da empresa do setor industrial somaram R$ 7,97 bilhões entre outubro e dezembro, uma alta de 22% sobre o mesmo período de 2021.

O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da WEG no quarto trimestre foi de R$ 1,55 bilhão, uma alta de 38,6% no ano. A margem Ebitda ficou em 19,5%, o que representa ganho de 2,3 pontos percentuais sobre o ano passado.

No ano, o lucro líquido da WEG foi de R$ 4,2 bilhões, o que representa um crescimento de 17,3% sobre 2021. As receitas entre janeiro e dezembro somaram R$ 29,9 bilhões, alta de 26,9%. O Ebitda, por sua vez, foi de R$ 5,61 bilhões, alta de 20,1%.

“Neste trimestre apresentamos bom resultado em grande parte dos negócios, com demanda positiva tanto no mercado interno quanto nos principais países em que a atuamos no exterior, trazendo crescimento consistente das receitas”, afirma a WEG.

Na comparação com o terceiro trimestre, o lucro líquido da WEG cresceu 3%, enquanto as receitas avançaram 0,9%. Já o Ebitda apresentou leve retração de 0,6%, enquanto a margem Ebitda teve diminuição de 0,3 ponto percentual.

A WEG destaca que pela primeira vez desde o quarto trimestre de 2021, a maior parte das suas receitas no quarto trimestre, 52%, vieram do mercado internacional. A desvalorização de 5,9% no dólar no período afetou as receitas do exterior.

A unidade de equipamentos eletrônicos industriais representaram 48,5% das receitas da WEG no quarto trimestre, vendo continuidade na atividade industrial do Brasil e manutenção dos bons resultados no exterior, mesmo com cenário de volatilidade.

A unidade de geração, transmissão e distribuição de energia representou 39,7% das receitas da WEG, também vendo boas tendências, enquanto motores comerciais foi 7,5% das receitas e tintas com 4,3% do faturamento.

A estabilização dos custos das principais matérias-primas que compõem a estrutura de custos da WEG, principalmente o aço e o cobre, em conjunto com a continuidade dos programas de redução de custos, proporcionaram ganhos de produtividade, dizem.

A WEG encerrou 2022 com caixa de R$ 4,45 bilhões. Houve geração de caixa de R$ 2,98 bilhões no último ano, resultado da continuidade no crescimento da receita e melhoria nas margens operacionais, destacam.