Copom mantém Selic em 10,5% ao ano

Manutenção, em linha com o mercado, veio após sete cortes consecutivos da taxa, que se manteve no menor nível desde março de 2022

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manteve nesta quarta-feira (19) a taxa básica de juros do país em 10,5%, em decisão amplamente esperada pelo mercado. A manutenção foi unânime entre os membros do comitê.

Com isso, o órgão pausa o ciclo de flexibilização iniciado em agosto de 2023, quando a Selic estava em 13,75% ao ano.

Desde então, o Copom cortou o juro sete vezes seguidas, sendo seis de 0,5 ponto percentual e, a última, de 0,25 ponto, no mês passado.

Fonte: Banco Central

Dissensão em maio

Dessa forma, na reunião anterior, em maio, por cinco votos a quatro, o Copom decidiu reduzir a taxa básica em 0,25 ponto.

Assim, os quatro que saíram derrotados, e que são indicados pelo atual governo, votaram por corte de 0,5 ponto.

O colegiado volta a se encontrar em 30 e 31 de julho para uma nova decisão sobre a Selic.

A decisão desta quarta-feira ocorreu na esteira de críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o nível das taxas de juros no país.

Foto de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central do Brasil. Ele é homem, usa óculos e tem cabelo castanho
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto durante palestra na sede do BC, em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Só temos uma coisa desajustada neste país: é o comportamento do Banco Central”, afirmou Lula em entrevista para a rádio CBN, na véspera (18).

“O presidente (do Banco Central, Roberto Campos Neto) tem lado político, que trabalha para prejudicar o país. Não tem explicação a taxa de juros estar como está”, acrescentou Lula.

Leia a seguir

Leia a seguir