Aegea, Perfin e Kinea arrematam primeira parceria público-privada da Sanepar, de 16 municípios, com deságio de 30,65%

Novo contrato inclui os serviços de esgoto em 16 cidades da região centro-litoral do Paraná e prevê R$ 1,2 bilhão de investimentos, ao longo de 24 anos e 2 meses

A Saneamento Consultoria arrematou nesta sexta-feira (14) a concessão de esgotamento sanitário de 16 municípios na primeira parceria público-privada da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). O lance ganhador, apresentado pelo grupo formado pela Aegea, Perfin e Kinea, foi de R$ 3,19. O valor representa um deságio de 30,65%.

Além da Saneamento Consultoria, mais três proponentes participaram do leilão, o primeiro realizado após os novos decretos do saneamento: Iguá Saneamento, Acciona Água Brasil e o Consórcio Parceria Paranaense de Saneamento. O segundo melhor lance, de R$ 3,20, foi apresentado pela Acciona Água Brasil, durante o leilão promovido na sede da B3 em São Paulo.

O investimento total previsto para a PPP é de R$ 1,2 bilhão, com contrato de 24 anos para a execução das obras, operação e manutenção dos serviços de coleta, transporte, tratamento de esgoto e destinação do efluente. O objetivo é atingir a meta de 90% de esgotamento sanitário até 2033, estabelecida pelo marco do saneamento.

Centro-Litoral do Paraná

No total, a PPP irá atender 640 mil pessoas nos 16 municípios que compõem a Microrregião Centro-Litoral do Paraná. São eles: Adrianópolis, Almirante Tamandaré, Bocaiúva do Sul, Campo do Tenente, Campo Largo, Cerro Azul, Contenda, Fazenda Rio Grande, Guaratuba, Mandirituba, Morretes, Piên, Quitandinha, Rio Branco do Sul, Rio Negro e Tijucas do Sul.

A expectativa é que o governo do Paraná promova mais dois leilões de PPPs no setor de saneamento. No início do mês, a Sanepar abriu o processo de consultas públicas para universalização do esgoto nas regiões Oeste e Centro-Leste do Estado até 2033, conforme estipulado pelo novo marco do saneamento.

Os contratos devem ter duração de 26 anos, abrangendo 195 municípios com serviços de coleta e tratamento de esgoto. A estimativa de investimentos é em torno de R$ 4,7 bilhões durante todo o período das concessões.

Com informações do Estadão Conteúdo