Privatização da Sabesp (SBSP3): Tarcisio quer investidor de referência e prevê R$ 10 bi a mais de investimento

Governo fará uma oferta de ações e deve se manter como acionistas minoritário da companhia

O governo de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (31) que buscará um acionista de referência no processo de privatização da Sabesp (SBSP3), nome popular da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo.

Tarcisio de Freitas, governador paulista, disse que o processo envolverá um follow on (oferta de ações de empresa já listada na bolsa). Assim, a expectativa do governo é de enviar o projeto para votação na Assembleia Legislativa ainda neste ano. E, dessa maneira, que a privatização ocorra oficialmente em 2024.

No modelo previsto, o governo paulista, que hoje tem 50,26% do capital da Sabesp, venderá uma fatia no negócio, mas seguirá como acionista minoritário.

De acordo com Tarcisio, dessa forma seriam adicionados pelo menos R$ 10 bilhões aos investimentos previstos para a companhia nos próximos anos.

Portanto, o prazo do investimento total na companhia, antes previsto para até 2033, será de 2027, e o volume total de inversões subirá para R$ 66 bilhões. Dentro do plano, esses recursos serão empregados na maioria para universalizar saneamento básico nos 375 municípios do Estado.

Modelos para desestatização

Tarcisio revelou que o governo considerou diversos modelos para desestatização da Sabesp, entre eles a venda total ou parcial da companhia para um investidor.

“Mas essas opções foram descartadas, porque demandariam mais investimento de um grande investidor, que em contrapartida exigiria maior retorno do investimento por meio do aumento da tarifa”, afirmou o governador.

O modelo se assemelha ao da Eletrobras (ELET3), que passou por processo de privatização no ano passado também por meio de uma oferta de ações em bolsa.

A diferença é que a estatal deixou de ter um acionista de referência, tendo o capital pulverizado. No caso de empresa de saneamento, o governo quer ter um grande investidor, que poderá também ser o operador da companhia.

A ação da Sabesp fechou o dia na B3 com alta de 2,2%, a R$ 57,91, contra valorização de 1,46% do Ibovespa.

Planos para a privatização da Sabesp

“Queremos que haja a redução imediata da tarifa”, disse a secretária de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística de São Paulo.

De acordo com o governador Tarcísio de Freitas, a privatização permitirá redução imediata da tarifa de água e esgoto após a desestatização. Sua afirmação tem como base estudos conduzidos pela International Finance Corporation (IFC), instituição do Grupo Banco Mundial.

“Queremos que haja a redução imediata da tarifa”, disse Natália Resende, secretária de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística de São Paulo.

Também estima-se que a Sabesp assegure investimentos para universalizar o acesso a água e esgoto coletado e tratado dentro dos 375 municípios atendidos pela companhia. Isso inclui áreas urbanas irregulares e rurais hoje não contempladas.