Corrida presidencial: o que explica a diferença entre Lula e Bolsonaro nas pesquisas Ipec e Quaest?

Vantagem do petista para o atual presidente varia de 8 a 15 pontos

Nesta quarta-feira (14) foi divulgada uma nova rodada da pesquisa Genial/Quaest para a corrida ao Palácio do Planalto. Lula e Bolsonaro disputam o primeiro e o segundo lugar, respectivamente, com 42% e 34%. É um resultado diferente do que foi apontado na última segunda-feira na sondagem feita pelo Ipec. Nela, Lula aparece com 46% dos votos, enquanto Bolsonaro tem 31%.

Por que um levantamento da disputa presidencial mostra uma diferença de 8 pontos percentuais e a outra consulta mostra uma vantagem 15 pontos?

A fórmula de cada pesquisa eleitoral pode variar no momento da coleta da amostragem. Por isso, Datafolha, Ipec ou Quaest podem apresentar resultados diferentes. No caso dessas duas últimas pesquisas, a variável está no público entrevistado cuja renda é de até dois salários mínimos.

Como aponta o cientista político e sociólogo Antônio Lavareda em rede social, a pesquisa Quaest usa uma cota diferente de brasileiros com renda de até dois salários mínimos, de 38%. Ao comparar o valor com o relatório da pesquisa do Ipec, essa mesma fatia corresponde por aproximadamente 57% dos entrevistados.

Vantagem de Lula

Tanto o Ipec quanto Quaest utilizam entrevistas ao vivo, no modelo face a face, para calcularem as intenções de voto para presidente.

Lula tem maior popularidade entre as camadas da população que ganham até dois salários mínimos, o que explica a vantagem na pesquisa do Ipec, que aponta liderança do petista nessa parcela da população: 53% contra 22% de Bolsonaro para quem ganha somente até um salário mínimo, e de 47% contra 26% para quem ganha entre um a dois salários mínimos.

Amostragem

A Quaest usou como fonte de dados para elaborar sua amostra as PNADs (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2022 e de 2021, realizadas pelo IBGE, além de dados do TSE. Já o Ipec usou apenas a PNAD de 2020, além de dados do Censo do IBGE de 2010. Por isso, as bases de amostragem foram calculadas de forma diferente, o que explica a discrepância dos entrevistados com renda mínima de dois salários.

Lavareda refez os cálculos da pesquisa do Ipec caso o instituto tivesse usado a mesma cota usada pela Quaest, e chegou ao resultado em que Lula tem 42% e Bolsonaro com 36% — a mesma margem de pontos apresentada pela pesquisa desta quarta.