Melhores e piores da bolsa: Braskem (BRKM5) fica entre as melhores; C&A (CEAB3) tem forte queda

Confira as melhores e piores ações desta quinta (15)

As ações vencedoras da bolsa no pregão de quarta-feira tiveram direções diferentes no pregão desta quinta (15). Vencedora do pregão anterior, com a maior alta entre ações com volume milionário ou acima disso, a Traders Club renovou suas altas, avançando 15% no final do dia. Por outro lado, a Triunfo, que também se destacou na quarta, ficou entre as piores

Assim, as ações da TC, que presta serviços para investidores do mercado financeiro, fecharam em R$ 1,61. O baixo preço permite grandes oscilações ao papel, que nos últimos 12 meses teve desempenho negativo: perda de 74% do valor no período.

Springs também é destaque

A empresa do setor financeiro foi acompanha pela têxtil Springs, que pertence ao industrial Josué Gomes, presidente da Fiesp, que também é dono da Santanense e da Coteminas, que detêm ações na bolsa.

A Springs tem sido beneficiada pela parceria que firmou com a Shein, gigante do varejo eletrônico asiático, que está de entrada no Brasil, trazendo parte da produção para cá, por meio das empresas do dono da Fiesp.

Braskem em alta novamente

A petroquímica Braskem, que tem como principais acionistas a Novonor e a Petrobras, avançou novamente na bolsa. A empresa se valorizou depois da Petrobras anunciar que descarta fazer oferta de compra pela empresa, segundo a Bloomberg.

O mercado se anima com a possibilidade de a empresa ser adquirida pela Unipar, que vai apresentar uma nova proposta pela compra da petroquímica. Recentemente, a Petrobras havia demonstrado interesse em manter sua participação na Braskem

Perdas

Na ponta de baixo, destaque para a Triunfo, que ficou com a segunda maior alta da quarta depois de ter liderado os ganhos por um período considerável, sendo ultrapassada pela TC nos últimos movimentos do dia.

Nesta quinta, a Triunfo recuou e devolveu parte dos ganhos somados no dia anterior. A empresa perdeu 5,46% do seu valor na bolsa, fechando em R$ 4,18. Nos últimos 12 meses, o resultado também é negativo: queda de cerca de 12% no período.

Já a C&A, que vem apresentando bons resultados na bolsa, recuou nesta quinta, fechando em queda de quase 5%, com ações cotadas a R$ 4,98. Nos últimos 12 meses, os papéis subiram 96%, recuperando a confiança dos consumidores.

Neste ano, especulações sobre uma possível junção da C&A com a Renner impulsionou os papéis. Além disso, os balanços melhores que o esperado vêm animando os investidores, que enxergam a empresa como player importante do varejo de moda diante de uma provável retomada econômica e queda dos juros.

Melhores ações do dia

  • Traders Club (TRAD3) +15,00%
  • Springs (SGPS3) +11,89%
  • Infracommerce (IFCM3) +10,06%
  • Positivo (POSI3) +9,03%
  • Braskem (BRKM5) +6,42%

Piores

  • Triunfo (TPIS3) -6,09%
  • Mobly (MBLY3) -4,93%
  • C&A (CEAB3) -4,59%
  • Melnick (MELK3) -4,31%
  • Oi (OIBR3) -3,73%

*A lista de melhores e piores da bolsa contempla empresas que negociam ações na B3 , dentro ou fora do Ibovespa e outros índices, e que no dia tiveram volume de negociação na casa dos milhões de reais, ou acima disso.