Morning call: Novo recorde do Ibovespa na apoteose de 2023?

Principal índice brasileiro de ações deve confirmar melhor desempenho desde 2019; agenda de indicadores é extensa e mercado também aguarda Haddad

Os mercados financeiros financeiros no Brasil encerram suas atividades em 2023 nesta quinta-feira, uma vez que fecham na sexta, quando tradicionalmente não há expediente bancário. Assim, com baixo volume de negócios, como foi a tônica nesta semana, a bolsa de valores deve ter sessão volátil e com baixa volatilidade neste morning call.

Isso será o suficiente para que o Ibovespa, principal índice brasileiro de ações, confirme seu melhor desempenho anual em quatro anos. Aliás, na véspera, ao subir 0,49%, o índice fechou aos 134.193,72 pontos, nova máxima histórica de fechamento.

No acumulado do ano, o Ibovespa subiu 22,3%, maior alta em um ano calendário desde a valorização de 31,6%, em 2019.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, concederá nesta quinta-feira uma entrevista coletiva às 10h, em Brasília.

Enquanto isso, o dólar subiu 0,22% contra o real, cotada a R$ 4,8326. No ano, acumulou até aqui baixa de cerca de 8,6%.

As bolsas de Nova York fecharam em alta, ganhando impulso com a queda dos juros dos Treasuries.

O índice Dow Jones  subiu 0,30%, aos 37.656,52 pontos. O S&P 500 teve alta de 0,14%, para 4.781,58 pontos e o Nasdaq avançou 0,16%, aos 15.099,18 pontos.

Indicadores

Destoando do ambiente de final de festa dos mercados, a agenda de indicadores econômicos será intensa, tanto no Brasil quanto no exterior. Isso, portanto, pode impactar o morning call por aqui.

Por aqui, a FGV divulga o IGP-M de dezembro e as sondagens do setores de serviços e do comércio do mesmo mês. Enquanto isso, o IBGE libera o IPCA-15, também de dezembro.

Também haverá divulgação dos dados do Caged, de geração de empregos formais, dados estes referentes a novembro. Os dados serão apresentados pelo Ministério do Trabalho e Emprego às 14h, horário de Brasília.

Por fim, o Banco Central divulga o fluxo cambial da semana de 18 a 22 de dezembro.

Estados Unidos

Já nos Estados Unidos saem os dados de pedidos de seguro-desemprego na semana encerrada em 23/12.

Também serão apresentados dados de vendas pendentes de imóveis, referentes a novembro, assim como de estoques de petróleo da semana até 22/12.

Haddad

Além da agenda de indicadores, o mercado nacional monitora fala pública do ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

A expectativa do mercado é de que Haddad anuncie a alternativa da Fazenda à desoneração da folha de pagamentos de 17 setores da economia, medida que foi prorrogada até 2027 pelo Congresso Nacional.

Fechamento no mercado asiático

Na China continental, os mercados foram favorecidos no morning call de hoje por papéis ligados ao turismo e semicondutores. O Xangai Composto subiu 1,38%, a 2.954,70 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto garantiu alta mais expressiva, de 2,30%, a 1.817,38 pontos.

Em outras partes da Ásia, o sul-coreano Kospi teve ganho de 1,60% em Seul, a 2.655,28 pontos, a máxima do pregão, enquanto o Taiex registrou ligeira alta de 0,11% em Taiwan, a 17.910,37 pontos.

O viés positivo na região asiática é sustentado também por avanços dos mercados de Nova York e da Europa neste fim de ano, diante da expectativa de que grandes bancos centrais comecem a reduzir juros já no primeiro semestre de 2024.

Por outro lado, o Nikkei caiu 0,42% em Tóquio hoje, a 33.539,62 pontos, realizando lucros após subir mais de 1% ontem, à medida que o fortalecimento do iene frente ao dólar pesou em ações de empresas exportadoras, como as montadoras Toyota (-1,04%) e Honda (-0,20%).

Na Oceania, a bolsa australiana acompanhou a maioria dos pares asiáticos, com alta de 0,70% do S&P/ASX 200 em Sydney, a 7.614.30 pontos.

Com informações do Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo