Lucro líquido de empresas da bolsa caiu 31% no primeiro trimestre, segundo levantamento

A Petrobras reportou lucro líquido de R$ 38,16 bilhões, 14,4% menor que o do 1T22

O lucro total de 336 empresas listadas na bolsa teve uma queda de 31,1% no primeiro trimestre de 2023 em relação ao mesmo período de 2022. Os dados são do TradeMap.

Empresas com grande participação na B3, como Petrobras, Vale, JBS, Azul, Braskem e Suzano, foram responsáveis por boa parte da variação. Sem essas empresas, a queda é mais discreta: de 18,8% no período.

A Petrobras reportou um lucro líquido de R$ 38,16 bilhões no primeiro trimestre de 2023, valor 14,4% menor que o resultado do mesmo período de 2022.

O lucro líquido da Vale recuou 58,7% no mesmo período.

A JBS reverteu lucro e teve prejuízo de R$ 1,5 bilhão.

Já a Azul fechou o trimestre com um prejuízo líquido de R$ 736,6 milhões, revertendo o lucro de R$ 2,6 bilhões de um ano antes no mesmo período

A Braskem (BRKM5) anotou lucro líquido de R$ 184 milhões no 1º trimestre, redução de 95%.

Suzano (SUZB3), maior produtora de celulose de mercado do mundo, encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 5,2 bilhões, com queda de 49% na comparação anual.

Setores

“Entre todos os setores, dez dos 37 tiveram prejuízo no primeiro trimestre de 2023. Apenas 13 setores apresentaram crescimento na lucratividade em comparação com o mesmo período de 2022”, diz Einar Rivero, head Comercial do TradeMap e responsável pelo levantamento.

O setor financeiro, um dos que tem grande influência sobre o desempenho total da bolsa, registrou um recuo de 7,3%.

O Itaú Unibanco registrou lucro de R$ 8,43 bilhões no 1º tri, alta de 14,6% em comparação com o mesmo período de 2022.

Já o lucro do Bradesco caiu 37,3% em comparação com o 1º tri de 2022, para R$ 4,3 bilhões.

O Santander Brasil (SANB11) informou que seu lucro líquido gerencial foi de R$ 2,140 bilhões, queda de 46,6% na comparação com o mesmo período do ano passado.