Itaúsa (ITSA4) terá impacto positivo de R$ 860 mi no 3º trimestre por redução de fatia na XP

Itaúsa deixou de ser acionista relevante da plataforma de investimentos

A Itaúsa (ITSA4) anunciou nesta segunda-feira (10) a rescisão do acordo de acionistas que tinha com a XP, uma vez que deixou de ser uma acionista relevante da plataforma de investimentos.

Em fato relevante, a Itaúsa, que também é controladora do Itaú Unibanco (ITUB4), afirmou que tem vendido participações na XP desde 2021 e que atualmente sua fatia na empresa equivale a 4,28% do capital na empresa.

Assim, os membros do conselho de administração da XP que representam a Itaúsa renunciarão aos seus cargos oportunamente.

Além disso, a Itaúsa mudará o tratamento contábil que faz do investimento no negócio e isso terá impacto positivo de cerca de R$ 860 milhões, o que vai aparecer no balanço do terceiro trimestre.

“A companhia manterá o plano de desinvestimento na XP, por não se tratar de ativo estratégico, e os recursos a serem obtidos serão destinados majoritariamente ao reforço de caixa e à ampliação do nível de liquidez”, afirmou a Itaúsa no fato relevante.