Mercado hoje: Ibovespa acompanha exterior negativo e tem terceira queda consecutiva

Receio de que alta de juros nos Estados Unidos desencadeie uma recessão global afeta a Bolsa brasileira

Na véspera do feriado de Nossa Senhora Aparecida, o Ibovespa completou três pregões consecutivos de quedas, influenciado pela dinâmica negativa no exterior. Investidores analisaram o discurso do presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), Andrew Bailey, que endureceu o tom em relação à instabilidade financeira no Reino Unido e anunciou o fim do programa de emergência do BC para injetar liquidez à economia local.

No fim do dia, o referencial local registrou queda de 0,96%, aos 114.827 pontos, tocando os 114.297 pontos na mínima intradiária e os 115.928 pontos na máxima. No exterior, S&P 500 recuou 0,65%, aos 3.588 pontos, Dow Jones registrou leve alta de 0,12%, aos 29.239 pontos e Nasdaq caiu 1,10%, aos 10.426 pontos.

Dólar

O dólar encerrou o dia em alta firme contra o real, negociado a R$ 5,2716 (+1,57%) no mercado à vista. O movimento refletiu a piora dos ativos globais após o presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), Andrew Bailey, anunciar o fim do programa de emergência do BC para injetar liquidez na economia britânica.

A notícia potencializou o sentimento de cautela entre os investidores locais, que balizaram seus negócios se preparando para o feriado nacional de Nossa Senhora Aparecida e a divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, banco central americano), ambos amanhã.

Estados Unidos

Os índices acionários de Nova York fecharam com sinais mistos nesta terça-feira (11). Os investidores focaram nos temores de apertos monetários dos bancos centrais pelo mundo. Leia completo aqui.

Europa

Bolsas da Europa fecham em queda com temores sobre aperto monetário. Dados de emprego no Reino Unido indicam que o mercado de trabalho tem pouca folga, o que deve continuar alimentando a inflação no país. Após ajustes, o Stoxx Europe 600 fechou em queda de 0,56%, a 387,95 pontos. Ver completo aqui.

IPCA em queda

No Brasil, o IBGE informou que o IPCA de setembro caiu 0,29%, após recuo de 0,36% em agosto. Foi a maior taxa mensal para setembro em toda a série histórica da pesquisa, iniciada em 1994, mas também ficou acima da mediana das estimativas de 35 instituições financeiras e consultorias ouvidas pelo Valor Data, que esperavam baixa de 0,33%, com intervalo de projeções indo de –0,41% a –0,09%.

Pesquisas eleitorais

Ainda no cenário doméstico, na segunda, após o encerramento dos negócios, pesquisa Ipec mostrou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 51% das intenções totais de voto no segundo turno das eleições presidenciais, contra 42% do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em votos válidos, o petista lidera por 55% a 45%.

Na noite de ontem, também foi realizado o primeiro debate do segundo turno para os governos estaduais – a corrida pelo governo de São Paulo vem tendo efeito em ações como a da Sabesp, já que Tarcísio de Freitas (Republicanos) é a favor da privatização da companhia.

Commodities

Entre as commodities, o petróleo brent operava novamente em queda, devolvendo parte dos ganhos da semana passada, enquanto o minério de ferro também teve ajuste para baixo na bolsa de Dalian.

Empresas

No noticiário corporativo, a Marfrig prepara emissão de certificado de recebíveis do agronegócio (CRA) de R$ 1 bilhão, que pode ser aumentado em até 20% se um lote adicional for vendido.

A Lojas Renner lançou o programa de fidelidade Estilo Orbi e a plataforma financeira digital Orbi Bank, com objetivo de oferecer recompensas para clientes mais assíduos e oferecer cashback e conta digital.

O IRB Brasil Re informou que um investidor abriu procedimento arbitral pedindo indenização por perdas. Ele diz ter sofrido prejuízo com a desvalorização das ações em razão de irregularidades e pede R$ 216,5 mil.

O conjunto de fundos geridos pelo Itaú Unibanco reduziu para 4,79% sua participação acionária na Energisa – antes, o banco detinha participação de 5,02%.

A BlackRock elevou para 5,12% sua participação acionária na Metalúrgica Gerdau. A gestora tinha 5% de participação.