Hapvida (HAPV3) fecha em alta após venda de serviço de emergência; Itaú BBA vê movimento positivo

Banco avalia que a companhia reforça foco em seu negócio principal

A venda pela Hapvida (HAPV3) da São Francisco Resgate para a Elo Conservação e Manutenção de Infraestrutura por R$ 150 milhões, combinada a recente arrecadação de fundos, reforça a estratégia da empresa de otimizar e fortalecer sua estrutura de capital e focar em seu negócio principal, diz o Itaú BBA, em relatório.

As ações da companhia fecharam em alta nesta segunda-feira (15) na B3. Os papéis avançaram 0,96%, cotados a R$ 3,15.

Os analistas Vinicius Figueiredo, Lucca Marquezini e Felipe Amancio escrevem que a empresa fechou recentemente um contrato de “sale & leaseback” (venda seguida pelo aluguel desses imóveis pela própria empresa) de dez imóveis e realizou uma oferta subsequente de ações.

Ao considerar essas operações e os números do quarto trimestre, a nova relação dívida líquida sobre lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) será de 2,96 vezes, dizem os analistas.

Eles destacam que a São Francisco Resgate é um dos maiores provedores de serviços médicos de emergência no Brasil, operando uma frota de mais de 220 ambulâncias.

O Itaú BBA tem recomendação de compra para as ações da Hapvida, com preço-alvo de R$ 4,50, potencial de alta de mais de 30% ante o valor negociado atualmente.