Eletrobras (ELET3; ELET6): Renúncia de Wilson Ferreira é sinal negativo, avalia Itaú BBA

Banco considera que, apesar da saída surpreendente, executivo deixou estratégia clara que deve ser feito pela companhia

As ações da Eletrobras (ELET3; ELET6) fecharam em queda de mais de 3% nesta terça-feira (15) na sessão da B3. A baixa dos papéis refletiu principalmente a renúncia de Wilson Ferreira Junior ao comando da companhia.

Ivan Monterio assume como novo CEO.

O anúncio da saída de Ferreira, sem o motivo revelado, surpreendeu os agentes financeiros.

“Principalmente após o Eletrobras Investor Day, quando Ferreira detalhou a estratégia da empresa e apresentou o novo time de vice-presidentes por ele contratado”, escreve o analista Marcelo Sá, do Itaú BBA.

“Parecia que a empresa agora estava mais organizada, com uma estratégia clara a ser implementada nos próximos anos”, acrescenta o especialista em relatório.

Agentes do mercado avaliam que a renúncia pode estar relacionada a pressões políticas do governo federal, que contesta na Justiça a privatização da companhia e tenta revogar o limite de 10% do direito de voto.

Nos bastidores, há rumores de uma possível negociação entre a Eletrobras e a gestão Lula para resolver as disputas. Estariam na mesa de discussões a possibilidade de o governo indicar mais membros para o conselho de administração, aumentando sua influência.

A outra alternativa seria a empresa antecipar repasses para a CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), o que poderia reduzir as tarifas de energia.

O que esperar da Eletrobras agora

Ainda no relatório, o Itaú BBA considera o novo CEO como um “executivo conceituado”. O banco lembra que Ivan Monteiro já ocupou cargos de liderança em algumas das maiores empresas do país, com destaque para Banco do Brasil e Eletrobras.

Além disso, Monteiro também atuou como chairman do banco Credit Suisse por pouco mais de três anos.

“Ele está há algum tempo no conselho de administração da Eletrobras e conhece muito bem a empresa”, anota o analista Marcelo Sá.

“Embora acreditemos que a liderança de Ferreira fará falta, a Eletrobras agora tem uma estratégia clara para fazer o que precisa ser feito para criar valor nos próximos anos e uma equipe de gestão muito boa para implementá-la”, completa o especialista.