Wall Street tem ganhos em dia de ata Fed. Saiba o que esperar agora do mercado de ações dos EUA

O mercado está precificando uma recessão nos EUA agora
Índices subiram na quarta-feira (6) com leitura de que risco de recessão pesará em postura do Fed adiante. Arte: Reprodução Valor Econômico

Nos EUA, os futuros de ações subiam na manhã desta quinta-feira, à medida que os investidores aguardam o relatório sobre o número de americanos solicitando benefícios de desemprego.

Os futuros atrelados ao S&P 500 subiam 0,3%, enquanto os contratos para o Dow Jones subiam 0,4%. Os contratos do Nasdaq-100, que reúne empresas de alta tecnologia, ganhavam 0,3%.

Os mercados globais estiveram voláteis esta semana em meio a dados econômicos mistos. Na quarta-feira (6), ata de junho da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), divulgada na tarde de ontem, indicou que o banco central dos EUA continua focado em gerenciar o risco de inflação, que registra maior alta em 40 anos.

Os investidores passaram a precificar um aumento maior da taxa de juros na reunião do Fed de julho após a divulgação da ata. Segundo o The Wall Street Journal, as apostas futuras mostram que os traders atribuem uma probabilidade de aproximadamente 96% de que o Fed entregue um aumento de 0,75 ponto percentual na taxa em sua reunião no final deste mês, de acordo com o CME Group. Isso é acima de 84% um dia atrás.

No entanto, a reação do mercado acionário em Wall Street anotou ganhos, contrariando o que seria de se esperar após comentários favoráveis a um aperto das condições financeiras.

O documento do último encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) mostrou que os integrantes do BC americano viam uma elevação de 0,5 ou 0,75 ponto nas taxas de juros como sendo “apropriada” para o próximo encontro, de julho. Além disso, os integrantes do colegiado reconheceram a possibilidade de que uma postura ainda mais restritiva poderiam ser apropriada, “caso as pressões inflacionárias persistam”.

Ainda assim, os índices acionários de Nova York fecharam em alta ontem, com o Dow Jones anotando ganhos de 0,23%, a 31.037,68 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,36%, a 3.845,08 pontos, e o Nasdaq subiu 0,35%, a 11.361,85 pontos.

O motivo por trás da aparente contradição é que a ata reflete a posição do Fed há três semanas, quando os temores sobre a disparada dos preços eram a preocupação principal da autoridade monetária americana. Desde então, os temores de uma recessão ganharam bastante peso, derrubando os preços das commodities e os rendimentos dos títulos do Tesouro americano (Treasuries).

“O problema todo é que esta é uma ata que reflete o passado”, diz Marcelo Oliveira, fundador da Quantzed, empresa de tecnologia e educação financeira para investidores. “O mercado está precificando uma recessão agora. O que vemos é que o Fed já tem espaço para ser mais frouxo no aperto monetário”, disse. “Agora, a preocupação do mercado é o que o Fed irá fazer para evitar esse cenário de recessão nos EUA nos próximos meses.”

Veja também: