Trio 3G: acionistas de referência da Americanas têm ‘dinheiro esquecido’ em bancos, diz coluna

Sistema de valores a receber do BC atendeu 1,5 milhão de pessoas no primeiro dia de resgates

Deu na coluna do Ancelmo Gois, no jornal O Globo: “Do trio de investidores da Americanas, dois têm ‘dinheiro esquecido’ em bancos”. A nota assinada por Nelson Lima Neto aponta que tanto Carlos Alberto Veiga Sicupira, conhecido como Beto Sicupira, quanto Jorge Paulo Lemann podem reaver valores.

Apenas Marcel Herrmann Telles “não deu a sorte de ter alguns trocados à disposição para resgate”, anota a coluna. O valor total não é sabido (a consulta é possível apenas para a pessoa física com direito ao resgate).

Conhecidos como trio 3G, Lemann, Telles e Sicupira são controladores da 3G Capital e acionistas de referência da Americanas. A varejista está em processo de recuperação judicial com uma dívida superior a R$ 40 bilhões.

O maior ‘dinheiro esquecido’ resgatado até agora

Na terça-feira (7), no primeiro dia de reabertura das solicitações de recursos “esquecidos” por clientes em instituições financeiras, o Sistema de Valores a Receber (SVR) atendeu cerca de 1,6 milhão de pessoas entre 10h e 17h30, que realizaram mais de 1 milhão de solicitações de resgate diretamente no sistema, por meio de suas chaves Pix, segundo levantamento do Banco Central (BC).

De acordo com a autoridade monetária, o valor total resgatado foi de R$ 62,1 milhões. O maior valor resgatado por uma pessoa física foi de R$ 328 mil e por uma pessoa jurídica, de R$ 133 mil. “Após picos esperados de procura durante as primeiras horas, o tempo médio em fila foi rapidamente sendo reduzido até chegar a zero, por volta das 17h15”, informou o BC em nota.

8 milhões de pessoas com valores a receber

Nesta etapa, estão disponíveis R$ 6 bilhões para resgate ao todo. “Conforme anunciado, o SVR permanecerá aberto para todos, sem interrupções programadas, para que cada um possa recuperar seus valores “esquecidos” no sistema financeiro. Independente do montante, o recurso pertence ao cidadão e deve a ele ser devolvido”, complementou.

A ferramenta estava fora do ar desde abril do ano passado, quando foi finalizada a primeira fase de devoluções. A segunda etapa estava prevista para maio, mas foi atrasada pela greve dos servidores da autarquia.

Nesta nova fase, 8 milhões de pessoas e 2 milhões de empresas possuem valores a receber de conta corrente ou poupança encerrada com saldo disponível, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de ex-participantes de cooperativas de crédito, recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados, tarifas cobradas indevidamente e parcelas ou despesas de operações de crédito cobradas.

As novidades

Segundo a autoridade monetária, a versão deste ano traz “novidades importantes”, como impressão de telas, sala de espera virtual e consulta de valores de pessoa falecida.

Entre as mudanças, estão também a inclusão de todos os tipos de valores previstos na norma do SVR e consulta a recursos de pessoa falecida por herdeiro, testamentário, inventariante ou representante legal.

Além disso, o sistema traz mais transparência para quem tem conta conjunta. “Se um dos titulares solicitar o valor via SVR, o outro, ao entrar no sistema, conseguirá ver as informações da solicitação: valor, data e CPF de quem solicitou”, explicou o BC.

Na nova etapa poderão ser consultadas, ainda, contas de pagamento pré ou pós-paga encerradas com saldo disponível, além de contas de registro e outros recursos.