Serviços no IPCA reforçam corte inicial da Selic de 0,25 ponto em agosto, diz XP Investimentos

A XP manteve a projeção de alta de 4,70% para o IPCA em 2023 e de 4,1% em 2024

A composição e as medidas agregadas do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de junho reforçam o “primeiro estágio” da desinflação no Brasil, puxado por alimentos e bens industriais, avalia o economista da XP Investimentos Alexandre Maluf.

Ele pondera, no entanto, que as métricas de serviços seguem rodando acima da meta de inflação e reforçam a visão de que o Banco Central iniciará o ciclo de flexibilização da política monetária de forma cautelosa, com um corte inicial de 0,25 ponto porcentual em agosto. A projeção da XP é que, após esse corte inicial, o BC realize cortes maiores de 0,50 ponto a partir de setembro, encerrando o ano com Selic em 12%.

Maluf cita que os serviços subjacentes avançaram 0,62% em junho, acima da projeção da XP de 0,43%. Além disso, a métrica acumulada em três meses anualizada e dessazonalizada aumentou de 6,08% para 6,75%, calcula.

“Conforme discutido na última ata do Copom, tal métrica de serviços é considerada o elemento-chave para o Banco Central determinar o início e o ritmo do ciclo de flexibilização monetária.”

A XP manteve a projeção de alta de 4,70% para o IPCA em 2023 e de 4,1% em 2024.

Com informações do Estadão Conteúdo.