Quando o preço dos carros vai baixar?

O que você prefere, um carro na garagem ou R$ 100 mil no bolso? Fiz a conta e mostro quanto renderia investir no Tesouro o equivalente a um automóvel

Desde o anúncio do governo de que vai cortar alguns dos impostos do carro popular a principal dúvida dos brasileiros sobre o tema é: quando o preço vai baixar? Mas o que você prefere: um carro na garagem ou uma bolada no bolso? Porque é disso que se trata: fazer escolhas.

Ter um carro ainda é o sonho de muitos brasileiros, bem menos do que no passado, é verdade, mas o simples anúncio dessa forcinha do governo deixou muita gente ansiosa para saber quando finalmente o preço vai baixar.

Quanto custa um carro?

Então volto à pergunta: o que você prefere, um carro na garagem ou R$ 100 mil no bolso?

Gosto de sempre fazer simulações com o dinheiro que planejo gastar. Não penso em comprar um carro, mas fiz para você uma simulação no site do Tesouro Direto, onde se vendem títulos garantidos pelo Tesouro Nacional que pagam taxas de juro.

Um carro, ou R$ 60 mil em títulos prefixados que vencem em janeiro de 2029, pouco mais de cinco anos, portanto, viraria pouco mais de R$ 100 mil.

Mais pode virar quase R$ 170 mil se você comprar um título que vence em janeiro de 2033. Ou seja, em menos de dez anos você troca um carro popular por um imóvel ou a entrada de um imóvel. É disso que se trata a vida, fazer escolhas. Você pode argumentar que terá que gastar dinheiro pagando transportes. É verdade.

Uma bolada na garagem

Deixei de usar carro há cerca de cinco anos. Não me faz falta e economizo não apenas dinheiro como tempo e dissabores. Todo início de ano sinto uma pontinha de vaidade e ostentação quando vejo o noticiário dando a retrospectiva do prazo para pagamento de IPVA e licenciamento. Eu não tenho esses problemas.

“Ah mas você paga taxi, Uber, transporte público”, seria seu argumento. Pago com prazer e com o que sobra vou ao cinema, teatro, shows e happy hour com amigos.

É claro que no meu caso é possível porque as distâncias e a quantidade de vezes que uso o carro me permitem tal luxo. É o tipo de gasto que você tem que avaliar caso a caso. Mas sou capaz de apostar que tem muita gente deixando uma bolada na garagem.

Leia na IF

Sem medo de errar

Conheça Artur Grynbaum, vice-presidente do Conselho do Grupo Boticário, fala sobre a transformação em um dos principais executivos do Brasil nas últimas décadas 

Imposto de Renda

O que fazer com o dinheiro da restituição?

Dinheiro na conta

Veja as empresas que vão distribuir dividendos em junho

Seu bolso

PIB subiu; onde investir?