MobizapSP: Prefeitura de São Paulo lança app para concorrer com Uber e 99; saiba como vai funcionar

A plataforma ainda não tem data para estrear aos passageiros, pois depende de uma base motoristas cadastrados

A prefeitura de São Paulo lançou hoje o MobizapSP, seu próprio serviço de transporte de carro por aplicativo.

“Há necessidade de um órgão regulador da cidade para termos concorrência e não uma unanimidade na iniciativa privada. É um grande passo”, disse hoje Ricardo Teixeira, secretário de Mobilidade e Trânsito da Prefeitura de São Paulo durante o anúncio feito na manhã de hoje, na sede da CET, em São Paulo.

O aplicativo prevê uma taxa fixa cobrada dos motoristas de 10,95% sobre o valor da corrida, mantendo o valor restante para o motorista.

“Ao fazer a ‘CPI dos Aplicativos’ pudemos constatar que há um clima de insegurança dos passageiros, um descaso com os motoristas de aplicativo pela falta de uma remuneração justa”, disse o vereador Marlon Luz (MDB-SP), motorista de aplicativo em 2016 que ficou conhecido como “Marlon do Uber”.

“O MobizapSP entra no cenário para quebrar o monopólio que existe no transporte de apps e a concorrência é melhor para todo mundo”, completou o vereador.

Em dezembro, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Aplicativos aprovou o relatório final das investigações de contratos das empresas que oferecem aplicativos de transporte particular de passageiros individual remunerado na cidade de São Paulo. A CPI instaurada no início de 2021 também investigou o recolhimento de impostos para o município e a avaliação da situação trabalhista dos colaboradores.

Entre as recomendações da CPI estão a necessidade de revisão da regulamentação dos serviços de transporte de passageiros e uma nova regra para os serviços de entregas (delivery) na capital, melhores condições trabalhistas e a urgência de uma legislação de seguridade social voltada para essas categorias.

“Estamos falando de uma taxa justa. Hoje os motoristas estão acostumados a terem retidos de 40% a 60% do valor da corrida”, comparou Thiago Hidalgo, diretor-presidente da Consulix Tecnologia e vice-presidente de Tecnologia e Operações na CSX Inovação, empresa que desenvolveu o MobizapSP para a prefeitura de São Paulo.

O app faz verificações de segurança do motorista e do passageiro ligadas ao com gestão da Secretaria Municipal de Transportes. “É um grande diferencial para ser um balizador do mercado”, frisou o secretário.

O app não prevê tarifas dinâmicas, prática adotada pelos apps Uber e 99 de elevação de valores das corridas de acordo com horários de pico de demanda nas cidades.

Convênios com locadoras de automóveis não estão previstos para o app, informou o vereador Marlon Luz.

O app ainda não tem data para estrear aos passageiros, pois depende de uma base motoristas cadastrados. Os cadastros podem ser feitos a partir de hoje pelo site .

Depois de alcançar uma base mínima de cadastros, segundo Teixeira, o app será aberto para a oferta dos serviços.

O aplicativo terá uma carteira digital com opções de pagamento com cartões de crédito, débito, dinheiro e compra de créditos pré-pagos por Pix.

A oferta de apps municipais de transporte individual já é realidade em outras cidades no país. No início de 2022, a Prefeitura de Araraquara, no interior de SP, lançou o app Bibi Mob, com repasse de 95% do valor da corrida ao motorista.