Powell, do Fed: ‘Processo desinflacionário começou, mas juros podem subir mais do que esperado’

Bolsas de NY sustentam ganhos e fecham em alta forte após comentários de Powell
Pontos-chave:
  • O presidente do Fed, banco central dos EUA, Jerome Powell, disse nesta terça-feira (7) que a desinflação "começou", mas levará tempo.
  • 'Se continuarmos a receber, por exemplo, fortes relatórios do mercado de trabalho ou relatórios de inflação mais alta, pode ser que tenhamos que fazer mais e aumentar as taxas mais do que o precificado', disse Powell.

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco cetral dos EUA), Jerome Powell, disse nesta terça-feira (7) que a inflação está começando a diminuir, embora ele espere que seja um processo longo e alertou que as taxas de juros podem subir mais do que os mercados esperam se os dados econômicos não cooperarem.

Os investidores esperavam que o Fed interrompesse em breve os aumentos agressivos das taxas de juros que começaram no ano passado. No entanto, Powell alertou sobre fortes dados econômicos, como o relatório de empregos da semana passada para janeiro.

Ainda assim, as bolsas de Nova York fecharam em alta robusta hoje, reagindo aos comentários de Powell. O índice Dow Jones fechou em alta de 0,78%, a 34.156,690 pontos, o S&P 500 subiu 1,29%, a 4.164,00 pontos, e o Nasdaq avançou 1,90%, a 12.113,79 pontos.

“O fato de Powell não ter se tornado mais agressivo após o relatório de empregos aparentemente foi um modesto alívio para os mercados”, argumentou o economista-chefe internacional do ING, James Knightley, em nota a clientes.

Em sua reunião mais recente, encerrada há seis dias, o Fed elevou sua taxa básica de juros em um quarto de ponto percentual, o oitavo aumento desde março de 2022, para uma meta de 4,5% a 4,75%.

Juros: longo caminho a percorrer

“O processo desinflacionário, o processo de redução da inflação, começou e começou no setor de bens, que é cerca de um quarto da nossa economia”, disse o chefe do banco central dos EUA durante um evento em Washington. “Mas temos um longo caminho a percorrer. Esses são os estágios iniciais.”

 Powell disse discordar da expectativa de que a inflação americana vai reduzir de forma rápida e o Fed poderá parar de subir juros logo “sem danos”.

“A mensagem que passamos na semana passada é de que o processo de desinflação começou, mas o caminho a seguir é longo”, disse o presidente do Fed, referindo-se à comunicação após a reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês).

Criação de empregos bem acima do esperado nos EUA

Powell disse ter se surpreendido com o “payroll” de janeiro, que mostrou criação de empregos bem acima do esperado nos EUA. Caso o mercado de trabalho siga aquecido, é provável que o Fed tenha de subir ainda mais os juros do que prevê agora.

Além do mercado de trabalho, o componente de serviços da inflação nos EUA também não respondeu de forma significativa às altas de juros, de acordo com Powell. Para medir a situação da economia americana, Powell afirmou que “dados anedóticos” são úteis.

Ele disse ainda que o balanço de ativos do Fed, atualmente em US$ 8,4 trilhões, deve ser reduzido mais nos próximos dois anos, mas, ao menos por enquanto, sem a venda de títulos lastreados em hipotecas (MBS, na sigla em inglês).

Com informações do Valor Pro.

Leia a seguir

Leia a seguir