PIB cresce 1,9% no 1º trimestre de 2023, acima do esperado, puxado pelo agro

O dado veio acima da projeção divulgada no boletim Focus da segunda-feira (29), que estimou alta de 1,26%
Pontos-chave:
  • Taxa trimestre contra trimestre imediatamente anterior 1,9%
  • Taxa trimestral (em relação ao mesmo período do ano anterior) 4%
  • Taxa acumulada em quatro trimestres (em relação ao mesmo período do ano anterior) 3,3%

O Produto Interno Bruto (PIB) registrou crescimento de 1,9%, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (1). O resultado, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é referente ao primeiro trimestre de 2023 na comparação com os três meses anteriores.

Assim, o dado veio acima da projeção divulgada no boletim Focus da segunda-feira (29), que estimou alta de 1,26%.

Nesse sentido, o PIB subiu 3,3% no acumulado, levando em conta os quatro trimestres imediatamente anteriores. Já em comparação ao primeiro trimestre de 2022, a alta foi de 4%.

Setores

O PIB do setor Agropecuário apresentou alta robusta no primeiro trimestre em relação aos três meses anteriores (dezembro, novembro e outubro), de 21,6%. No mesmo período, Serviços subiu 0,6%. Já a Indústria caiu 0,1%.

Agro tem forte alta

Na comparação com o primeiro trimestre de 2022, o avanço da agropecuária foi de 18,8%. Dessa maneira, “o resultado pode ser explicado pelo bom desempenho de produtos da lavoura com safra relevante no primeiro trimestre e pela produtividade”, avalia o IBGE.

A soja, principal cultivo do país, apresentou ganho estimado em 24,7% na produção anual. Milho (8,8%), fumo (3,0%) e mandioca (2,1%) também ajudaram a alavancar o resultado do setor. Já o arroz teve queda de 7,5% na produção em comparação com o primeiro trimestre do ano passado.

Indústria e Serviços

Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o PIB da Indústria subiu 1,9%. Assim, “as Indústrias Extrativas (7,7%) registraram o melhor resultado, sendo afetadas pela alta tanto da extração de petróleo e gás como de minério de ferro. Houve destaque também na atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (6,4%) com a melhoria das condições hídricas”, destaca o IBGE.

Além disso, o setor de Serviços subiu 2,9% na comparação com o 1T22, com todas as atividades registrando alta. Informação e comunicação subiu 6,8%, Transporte, armazenagem e correio avançou 5,1%, Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados, 4,6%, Outras atividades de serviços, 4,3%, Atividades Imobiliárias cresceu 2,8%, Comércio,1,6%, e Administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social subiu 0,4%. 

Revisões

O IBGE também anunciou duas revisões relacionadas às divulgações anteriores do PIB. No quarto trimestre de 2022, a queda passa a ser de 0,1%, diferentemente do valor apontado anterior, de -0,2%.

O terceiro trimestre também teve sua taxa revisada para +0,5%. Antes, o IBGE havia divulgado valorização de 0,3%.

O segundo trimestre teve alta de 1,1% e não de 0,9%, como o divulgado anteriormente.

O primeiro trimestre de 2022 também foi revisado, com PIB subindo 1% e não 1,3%.