Inflação nos EUA desacelera e fica em 5% em 2022; Núcleo do PCE acumulou alta de 4,4%

Dado veio abaixo do resultado prévio de 5,5% em novembro. No mês, subiu 0,1%

O índice de preços com gastos com consumo pessoal mensal (PCE, na sigla em inglês) nos Estados Unidos avançou 0,1% em dezembro, mesmo patamar registrado no mês anterior.

No acumulado anual, houve desaceleração para 5% ante os 5,5% vistos em novembro.

O núcleo do índice, que exclui componentes voláteis de alimentos e energia, subiu 0,3% em dezembro ante os 0,2% do mês anterior. Na base anual, o núcleo desacelerou para 4,4% ante os 4,7% de novembro.

O PCE é um dos indicadores observados mais de perto pelo Federal Reserve, BC americano, para a avaliação dos próximos passos de sua política monetária.

Os gastos pessoais em dezembro caíram 0,2% em dezembro, ante a queda de 0,1% em novembro.

A renda pessoal em dezembro subiu 0,2%, após avanço de 0,3% em novembro.

Repercussão

Na opinião do economista Guilherme Sousa, da Ativa Investimentos, o PCE se mostrou mais forte do que o esperado ao exibir alta de 0,1% em dezembro, ante a expectativa de 0,0%. Os núcleos, por sua vez, avançaram exatamente conforme o esperado, 0,3%.

Segundo o economista, o resultado retira pressão adicional sobre os juros, ampliando a probabilidade de mais uma elevação de 25 bps da Fed Funds Rate.

Ele aponta que os membros do Fed deverão trazer na próxima reunião uma comunicação dura, a fim de recompor a sinalização de que o ciclo chegou ao fim, afastando assim cenários que precificam cortes considerados precoces pelos membros.

“Projetamos que o Fed deverá conduzir a taxa básica de juro até 4,75%-5,00% encerrando o ciclo de alta daqui a duas reuniões, sendo que o pace deverá permanecer 25bps em ambas”, finalizou.