Milton Maluhy Filho: 2023 pode ter ‘sensação’ de recessão

CEO do Itaú apontou que as medidas de aperto monetário são cumulativas e devem ter maior efeito em 2023, além de a China ainda viver com as consequências da restrição de mobilidade devido à covid-19

No Macro Vision 2022, promovido pelo Itaú BBA, o CEO do Itaú Unibanco (ITUB3, ITUB4), Milton Maluhy Filho, afirmou que próximo ano será de transição, tanto na economia global como na local. Com isso, apesar de não ser prevista uma queda no PIB mundial, pode haver uma “sensação térmica” de recessão.

Ele apontou que as medidas de aperto monetário conduzidas por diversas economias são cumulativas e devem ter maior efeito em 2023. Além disso, a China ainda vive os efeitos de restrição de mobilidade em função da pandemia da covid-19.

“2023 será um ano de transição. Tanto na economia global, como no Brasil, onde teremos um novo governo, e esperamos responsabilidade social e fiscal”

Milton Maluhy Filho, CEO do Itaú Unibanco no Macro Vision 2022

Segundo ele, o atual ciclo inflacionário global é fruto de problemas na oferta, mas também de alguns excessos nas medidas de estímulo adotadas para combater os efeitos da pandemia.

Maluhy ainda disse que o Banco Central do Brasil foi um dos primeiros a começar um ciclo de aperto e que, caso a inflação continue desacelerando, talvez seja possível começar a reduzir os juros a partir do segundo semestre do ano que vem.

Segue o fio: